conecte-se conosco

AnalistasKauê DinizSport

Uma peneira pouco seletiva

Avatar

Publicados

em

O uso de jogadores da base é considerado essencial não só para fazer caixa no futuro próximo, como também a salvação para temporada em orçamento apertado. Porém, transformar esse conceito em negócio e dinheiro no bolso não vem sendo fácil para os três clubes da capital pernambucana. Peguei o recorte das últimas quatro temporada para ver onde foram parar jogadores que foram vistos como possíveis soluções futuras nas equipes e a maioria está no ostracismo. Ao longo desta semana vou destacar um dos clubes, começando pelo Sport, que até fez dinheiro, porém, sem esperar os jogadores realmente explodirem no profissional, a exemplo de Rafael Luiz e Jadsom, ambos no Cruzeiro. Hoje, oito nomes da base recente estão no elenco, alguns jogando com regularidade: Adryelson; Luciano Juba, Chico, Mailson, Mikael, Alê Santos e Ewerthon, além de Gustavo, que teve poucas oportunidades na reta final da Série A 2020. Mas no final de ver todos nessa lista abaixo você sente que na peneira desse processo houve muito tempo perdido e pouca exatidão na revelação de talentos.

Lucas – 23 anos
Goleiro

Com convocações para as seleções brasileiras de base, não chegou a atuar pelo profissional do Sport, deixando o clube oficialmente no final do ano passado. No Salgueiro, passou a ser titular da equipe nos últimos quatro jogos pela Série D.

Elias – 21 anos
Lateral-direito

Depois de ficar emprestado por um ano ao Athletico Paranaense, esperava-se que na sua volta fosse ser aproveitado. Porém, não teve chance de atuar e foi emprestado recentemente ao Botafogo-PB.

Rafael Luiz – 18 anos
Lateral-direito

Chegou a ser titular do Sport nas primeiras rodadas da Série A deste ano, antes de ser negociado com a Ferroviária-SP, comandada por empresários, que emprestou ao Cruzeiro. Com Enderson Moreira, teve uma sequência como titular no time mineiro. Sport segue com 10% dos direitos econômicos de Rafael.

Sinho – 24 anos
Lateral-direito

Teve poucas chances no profissional do Sport e logo depois seguiu para o Salgueiro onde está há três temporadas e, na maioria delas, como titular do Carcará.

Evandro – 23 anos
Lateral-esquerdo

Estreou pelo profissional aos 18 anos, deixando uma boa impressão diante do Salgueiro. Cinco anos depois, agora parece realmente ter uma sequência para mostrar seu futebol, atuando pelo Central, na Série D, como titular absoluto do time. Teve uma passagem, em 2019, apagada pelo ABC.

Caio Felipe – 21 anos
Lateral-esquerdo

Jogador que parecia que seria bastante promissor, da mesma geração de Juninho e Pardal e com convocação nas seleções de base, teve poucas chances no profissional do Sport. Em 2020, disputou o Campeonato Mineiro pelo URT, como reserva, e hoje está no Aymorés, jogando a Segundo Divisão do Mineiro.

Pedro Vitor – 22 anos
Lateral-esquerdo e atacante

Jogador que muitos torcedores nem vão lembrar. Atuava como volante e saiu da base do Sport direto para o exterior, primeiro para a Grécia, onde jogou no AEK e Aris Salonika e hoje atua pelo Lviv, da Ucrânia, jogando mais como extremo pela esquerda ou lateral.

Jadsom – 19 anos
volante

Vendido no início de 2019 ao Cruzeiro, é titular absoluto no time na Série B, mesmo com as várias mudanças de técnico. Sofre já assédio do futebol europeu, sobretudo turco, e pode render um bom dinheiro ao Sport em um revenda futura, já que o clube manteve um percentual.

Tallyson – 24 anos
Volante

Em 2017, Tallyson era o queridinho de Vanderlei Luxemburgo no Sport. O jogador, porém, só teve espaço com ele e depois começou a perambular por clubes menores: Boa Esporte, Confiança, Retrô e hoje disputa a Segundona estadual pelo Vera Cruz.

Fabrício Bigode – 22 anos
Volante

A qualidade na bola parada o colocou como uma promessa pinçada por Ney Franco, em 2017. Porém, não teve sequência em sua posição e deixou clube, rodando por Guarani, futebol da Letônia e jogou na Portuguesa neste ano, além do ABC, onde é reserva na Série D.

Neto Moura – 24 anos
Meia

Na base, era visto como enorme potencial. Apesar de ter atuado em várias posições do meio para frente, nunca encaixou o futebol com regularidade. Passou por Vila Nova, Mirassol e agora na Ponte Preta vem fazendo uma Série B até destacável, tanto que teve o nome ventilado no Palmeiras.

Pablo Pardal – 21 anos
Meia

Considerado uma joia naquele time sub-17 do Sport vice-campeão da Copa do Brasil 2016, onde Juninho era o nome mais badalado, chegou a ir pra base do Cruzeiro e disputar o Torneio de Toulon pela seleção brasileira sub-20. Hoje, é reserva do Cascavel-PR, onde disputa a Série D.

Fábio Matos – 24 anos
Meia

Jogador que se esperava muito, mas não conseguiu deslanchar no futebol. Ainda teve uma passagem relevante no Paysandu, mas depois nada que acrescentasse muito pelo Náutico, Juventude e hoje Londrina, onde é reserva.

Pedro Maranhão – 21 anos
Atacante

Chegou a disputar algumas partidas pelo profissional 2019 e 2020, sempre nos primeiros jogos da temporada, mas sem se firmar. Está na Ferroviária-SP, como reserva do time alternativo que disputa a Copa Paulista, sem ter atuado um jogo sequer na Série D pelo clube.

Everton Felipe – 23 anos
Atacante

Um dos nomes da base que teve mais projeção no profissional do Sport (titular em 2016 e 2017 com certa regularidade), foi vendido para o São Paulo em 2018, mas ainda não se firmou em nenhum outro clube após deixar a Ilha. Passou por Athletico e, neste ano, Cruzeiro e Atlético Goianiense.

Juninho – 21 anos
Atacante

Um dos nome da base que mais trouxe expectativa e frustração para o torcedor. Após problemas fora de campo e insucessos em empréstimos ao Ceará e Guarani, foi jogar, no segundo semestre de 2020, no Arda Kardzhali da Bulgária, com quem assinou contrato de duas temporadas.

Índio – 23 anos
Atacante

Surgiu até bem como titular, pelas mãos de Nelsinho Batista, no início da temporada 2018, porém, com as chegadas dos reforços, foi perdendo espaço e nos últimos anos passou pelo futebol do Chipre e divisões inferior de Portugal, sem qualquer destaque.

James Dean – 23 anos
Atacante

Com 18 anos, começou a figurar nos bancos de reservas em jogos profissionais do Sport, mas sem jamais conseguir atuações sequenciadas e convincentes. Depois do Petrolina, atua agora no Afogados da Ingazeira.

Wallace – 23 anos
Atacante

Centroavante que se esperava bastante por ser artilheiro na base, mas nunca teve sequência no profissional. Deixou o clube para jogar em um pequeno time da Croácia e neste ano teve uma passagem apagada pelo Brasiliense. Foi contratado, com o aval de Leivinha, ex-Náutico e Sport, que é o técnico dos aspirantes do Corinthians, onde jogará as competições sub-23.

Vinicius Bala – 23 anos
Atacante

Ponta-direita que teve destaque na base por ser impetuoso no um contra um, teve poucas chances no profissional, seguindo para a base do Internacional e depois para o Desportivo Brasil, time de empresários em São Paulo, e hoje no sub-23 Portimonense de Portugal.

Patrick – 21 anos
Atacante

Centroavante de 1,92m e da mesma geração de Juninho, destacava-se na base pelo porte físico e chegou a fazer uma partida pelo profissional do Sport. Ano passado, deixou o clube, seguindo para o Cianorte-PR e, posteriormente, o sub-23 do Inter. No momento, disputa a Segunda Divisão do Paraná pelo Azuriz.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending