conecte-se conosco

BAPESanta CruzÚltimasVitória

Santa Cruz estuda ir à Justiça caso Vitória não quite atraso na compra de João Victor

Foto: Letícia Martins/ECV

Publicados

em

O imbróglio segue. Com apenas uma parcela de R$ 100 mil paga pelo Vitória ao Santa Cruz referente à compra de 50% dos direitos econômicos do zagueiro João Victor ainda no final de 2019, o Tricolor tenta costurar um acordo com a diretoria do Leão para receber as sete parcelas restantes – o que totalizaria o valor de R$ 800 mil pela cessão do jogador. Este cenário, porém, não significa que o clube pernambucano não adote medidas mais duras para garantir o repasse que lhe é de direito.

Isso porque, segundo o presidente da Cobra Coral, Joaquim Bezerra, as diretorias seguem em tratativas para resolver o atraso, mas também existe a possibilidade de levar o caso à Justiça se não houver consenso.

“Estamos tentando fazer um acordo para receber o valor. Se a gente não conseguir fazer, qual o caminho que a gente tem que tomar? A Justiça. Então a gente faz tudo para tentar receber o dinheiro amigavelmente. Se não conseguirmos o acordo com o Vitória e outros clubes que o Santa Cruz tem o direito a receber, o caminho é o tribunal da CBF”, disse.

“Se vamos entrar hoje ou amanhã, não posso dizer porque estou negociando. Se o Vitória deve e está atrasado, já deveria ter pago. Não pagou, tentou conciliar, e estamos fazendo por onde para tentar receber. Mas se a gente não consegue, teremos que judicializar”, acrescentou o presidente do Santa Cruz.

Ainda no início de 2020, cujo período também marcou a chegada da pandemia de Covid-19 no Brasil, o Vitória, alegando dificuldades financeiras, decidiu suspender o pagamento de João Victor, só retornando em agosto. Mesmo assim, o clube baiano quitou apenas uma das sete parcelas de R$ 100 mil. O repasse, inclusive, foi divulgado pelo gestor financeiro da antiga diretoria do Santa Cruz, Ítalo Mendes, em resposta a um torcedor, nas redes sociais.

E Warley?

Também questionado pela reportagem do NE45 sobre Warley, que teve 50% dos direitos econômicos comprados pelo Botafogo, Joaquim Bezerra disse que o Santa Cruz ainda analisa o assunto, sem ter uma definição concreta.

No acordo selado pela antiga gestão, os pernambucanos, em troca de Warley, teriam R$ 100 mil/mês de salários pagos a atletas cedidos por empréstimo pelo Botafogo ao Santa Cruz até o final de 2020. O único, porém, que desembarcou no Arruda foi o centroavante Victor Rangel – que hoje não faz mais parte do elenco.

Trending