conecte-se conosco

PIPiauienseÚltimas

Após ficar internado com Covid-19, técnico Paulo Júnior faz apelo: “o futebol tem que parar”

Foto: TV Clube/PI

Publicados

em

Com o avanço da Covid-19 em todo País, aos poucos, alguns profissionais ligados ao futebol vêm reforçando a preocupação e pedindo para que campeonatos sejam suspensos até que haja um recuo no avanço da pandemia. Só nesta semana, adotaram esse discurso os técnico Lisca, do América-MG, Abel Ferreira, do Palmeiras, e nesta sexta-feira, Rodrigo Chagas, do Vitória. Outro que se manifestou a favor da paralisação do futebol foi o técnico pernambucano Paulo Júnior, atualmente à frente do Tiradentes-PI. E nesse caso, com conhecimento de causa. 

Infectado com o novo coronavírus em fevereiro, o treinador passou oito dias internado e precisou receber ventilação mecânica por chegar a ter 50% da capacidade pulmonar comprometida. Nesse período, perdeu sete quilos. “Acho que tem que parar porque não estamos em uma bolha. Os casos são muitos. Aqui em Teresina as UTIs estão perto de 100%, como em boa parte do Brasil, e eu tenho um grupo de 30 atletas que se deslocam, vão para casa, voltam. Tudo bem que a gente testa semanalmente antes dos jogos, mas entre uma testagem e outra uma pessoa pode se contaminar e contaminar os outros, os familiares, membros da comissão técnica. Por isso acho que o futebol tem que parar, junto com um lockdown, até as coisas se normalizarem e a gente possa ter mais segurança para trabalhar”, afirmou Paulo Júnior, em entrevista por telefone ao NE45.

“A gente viaja para Piripiri e se hospeda, para Parnaíba e se hospeda, para Picos… e tudo isso é foco de contaminação. Essa doença é muito séria. Eu passei muito mal. As pessoas que não conviveram com a doença acham que é tudo normal. A minha situação foi muito grave. Eu fiz o teste, deu positivo, e me isolei por quatro dias até que as coisas começaram a se agravar. Fui ao hospital e na radiografia pulmonar deu que eu estava com 50% do pulmão comprometido e precisei ficar internado. Fiquei em estado grave, mas não fui para a UTI, porque minha recuperação foi rápida. Mas precisei de oxigênio para compensar o pulmão que estava comprometido”, recordou.

O treinador lamentou ainda o fato do preparador de goleiro da sua comissão técnica, Samuel Bezerra (ex-Náutico) estar internado em UTI por conta da Covid-19. “A situação dele é grave, com o pulmão 62% comprometido e em UTI. Ele passou 10 dias na enfermaria e já são 13 dias na UTI. Não está sendo fácil a situação”, lamentou.

Dez dias após receber alta, Paulo Júnior voltou ao trabalho na última quinta-feira, no Tiradentes. Mas ainda com restrições por conta da recuperação da doença. A equipe está na vice-lanterna do Campeonato Piauiense, com apenas um ponto em dois jogos e volta a campo na próxima quarta-feira para enfrentar o Altos, fora de casa.

Em Teresina, segundo último levantamento feito pela secretaria de saúde do Piauí, a taxa de ocupação nas UTIs da rede pública para a Covid-19 chega a 92%. Na última quinta, o estado registrou mais 24 mortes pela doença, maior número do ano. Ao todo, desde o início da pandemia, foram 3.425 óbitos registrados em 212 municípios.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending