conecte-se conosco
Rodrigo Chagas, técnico do Vitória Rodrigo Chagas, técnico do Vitória

BABaianoCopa do BrasilCopa do NordesteÚltimasVitória

Técnico do Vitória endossa fala de Lisca sobre adiar 1ª fase da Copa do Brasil

Publicados

em

Na última quarta-feira (3), antes de um jogo pelo Campeonato Mineiro, o técnico Lisca, com passagens por Náutico e Ceará, e hoje no América-MG, fez um apelo à CBF pelo adiamento da primeira fase da Copa do Brasil por conta da explosão de casos de covid-19 no Brasil. Ele mencionou o medo de expor tantas pessoas em um momento tão agudo da pandemia, e citou o caso de pessoas ligadas ao futebol que morreram em decorrência da doença, como o treinador Ruy Scarpino, ex-Moto Club e Imperatriz.

A linha de raciocínio do comandante do América-MG foi seguida por Rodrigo Chagas, técnico do Vitória. Em entrevista coletiva, ele contou que apoia o posicionamento do companheiro de profissão e ressaltou o risco de tamanha exposição com viagens das delegações pelo Brasil. Para Chagas, seria interessante que a CBF avaliasse a chance de remarcar esses jogos mais para frente, ajustando o calendário.

“Apoio totalmente o que Lisca falou. Acho que ele foi totalmente feliz na posição. Ele teve coragem de falar. Parabéns ao professor Lisca. Ele colabora com tudo que vem acontecendo. É um momento muito difícil que estamos vivendo. Fazer nossos atletas e profissionais irem para lugares distantes do Brasil com essa pandemia, arriscando nossas vidas… é um momento ruim que a CBF deveria rever num momento mais propício, para que pudesse haver esses jogos que estão marcados. Mas somos profissionais, estamos aqui para cumprir esse longo calendário que temos do Campeonato Brasileiro, mas o Lisca foi totalmente feliz com as palavras que ele disse”, afirmou o comandante do Vitória.

Pela Copa do Brasil, o Águia Negra-MS será o adversário do Vitória na primeira fase. A partida está marcada para a próxima terça-feira (9), às 19h15, abrindo a competição. O país vê o número de casos da covid-19 subir de maneira alarmante nas últimas semanas, atingindo proporções maiores do que as vistas em 2020. Na Bahia, de acordo com números da Secretaria de Saúde do Estado, 700.768 da doença foram registrados, com 12.251 mortes.

Trending