conecte-se conosco

NáuticoPEÚltimas

Empresário diz que Rithely desistiu de acertar com Náutico e detona jogador: “Moleque”

Foto: Williams Aguiar/Sport CLub do Recife
Avatar

Publicados

em

A negociação entre Náutico e o volante Rithely, dada como praticamente certa até às 22h da última terça-feira (30) desandou. E agora, ao que parece, com um ponto final. E consequências. Em entrevista ao NE45, o empresário Roberto Faustin, que agenciava o atleta ao lado de Tadeu Cruz (filho do técnico Milton Cruz), confirmou que o jogador desistiu da negociação. E não poupou críticas ao defensor, a quem chamou de “moleque”. 

Sem esconder a chateação, Faustin, que rompeu com o volante após 12 anos, questionou ainda o futuro de Rithely como atleta. Segundo ele, o jogador, de 30 anos, “não dá mais conta de jogar futebol.”

Após o volante ser oferecido ao Náutico em um primeiro momento, a negociação foi deixada de lado pelo fato financeiro. Porém, foi retomada com força a partir de uma nova proposta de contrato por produtividade, em que o jogador receberia um salário fixo de R$ 5 mil e outros valores a depender de metas atingidas. 

A contratação contava com o aval do técnico Hélio dos Anjos, que sempre desejou trabalhar com o atleta desde o primeiro momento. Foi o treinador que trouxe Rithely para o Sport em 2011, após os dois terem trabalhado juntos no Goiás. Porém, segundo Faustin, após tudo praticamente acertado, o negócio foi desfeito na noite da terça-feira. Pelo próprio Rithely. 

“O Rithely não vai mais não (para o Náutico). Ele não dá mais conta de jogar bola. Fui durante 12 anos o empresário do Rithely, mas depois do que ele fez com Sport eu briguei com ele e deixei meu sócio Tadeu Cruz e o Márcio Muriato tocarem o negócio. E ele acabou fazendo a maior molecagem com o pessoal do Náutico. E é porque ele não dá mais conta de jogar. A verdade é essa. Tem dois anos que ele não joga e agora que nós conversamos com o Hélio dos Anjos para voltar ao mercado ele fez essa molecagem com o Náutico e com a gente ”, iniciou Faustin.

Nos dois últimos anos, Rithely entrou em campo apenas 32 vezes, por Internacional, Sport e Atlético-GO. No clube gaúcho, em 2019, se submeteu a uma cirurgia no tornozelo esquerdo para corrigir uma inflamação crônica na região.

“Foi feita uma negociação e aí por conta de auxílio moradia ele não quis ir. Foi a desculpa que ele deu. Eu pessoalmente toquei direto com o pessoal do Náutico, com o Diógenes (Braga, vice-presidente), com o Ari (Barros, executivo de futebol). Meu sócio falou com o Hélio dos Anjos e ele foi moleque com todo mundo. Ele aceitou a proposta, depois recusou e disse que eu não poderia falar por ele, só o Tadeu, sendo que o Tadeu é meu sócio. Ele sempre foi representado por nós, mas agora acabou”, reforçou Faustin, que seguiu.

“Eu quero é que ele se f… Quem vai representar ele daqui pra frente não me interessa mais. A partir de agora é oficial. O meu escritório e o do Tadeu Cruz não representam mais ele. Éramos até ontem 22h. Ele foi moleque, essa é a palavra”, finalizou.

Versão do Náutico

Procurado pelo NE45, o presidente do Náutico, Edno Melo, adotou um discurso na defensiva. E tratou toda a situação envolvendo Rithely como “zumzumzum”.

“Rithely é amigo de Hélio dos Anjos, mas não sei se existiu esse contato (para vir ao Náutico). É muito ‘zumzumzum’, se diz muita coisa. É um jogador muito caro. O Náutico não tem condições de contratar um jogador desses, que não se encaixa na realidade financeira do clube”, afirmou.

Trending