conecte-se conosco

PESportÚltimas

Sport: Bivar avalia eleição e desabafa sobre oposição: ‘Três meses batendo’

Atual mandatário sugeriu, inclusive, que o desgaste do pleito estava afetando o time em campo

Publicados

em

Após a apertada vitória nas urnas, onde sagrou-se presidente do Sport para o biênio 2021-2022, Milton Bivar celebrou aliviado. Mas não só. O mandatário, que deixou a apuração antes do fim, mas falou à Rádio Clube, desabafou sobre a postura dos opositores durante o processo eleitoral e trouxe a visão do porquê do pleito ter sido tão equilibrado – decidido na última urna e por uma diferença de apenas 38 votos.

LEIA: Milton Bivar é reeleito presidente no pleito mais acirrado da história do Sport
LEIA: Pleito mais equilibrado, relembre todas as eleições do Sport

“Foi uma vitória apertada, mas tem de se levar em consideração que foram quatro candidatos. Não podia ser diferente. Também isso se deve ao fato de que estamos punidos pela responsabilidade que tivemos. Perdemos a Copa do Brasil (queda na primeira fase), fomos eliminados na Copa do Nordeste (também na primeira fase), mas tudo isso tem um porquê. Isso ficou de lado e a oposição se apegou a isso, ao momento do time”, iniciou.

“Nós tivemos coragem e quero parabenizar ao presidente Carlos Frederico (vice-presidente) que teve coragem de fazer aquilo que combinamos. Segurou no aspecto financeiro. Existia um débito monstruoso a pagar com o Sporting (pela compra do atacante André em 2017) e a CNRD. Se não, o Sport ficaria inviabilizado, sem pode inscrever jogadores”, acrescentou o presidente eleito.

Milton Bivar teve1.023 votos contra 985 do principal opositor, Nelo Campos. O presidente reeleito teve ainda como demais concorrentes, Delmiro Gouveia, que recebeu 232 votos, e Eduardo Carvalho, que apareceu com 119. Sobre os opositores, aliás, Bivar questionou a conduta.

“A oposição teve três meses só batendo. De muita falsidade e fazendo de tudo para desmerecer o time da gente. Esculhambaram o plantel. Enfim, não quero que tenham como desabafo, mas é uma realidade. Tiveram essa quantidade de votos porque nós fomos responsáveis e tivemos de sacrificar duas competições. Até três porque o início do Pernambucano não foi bom”, disse, antes de finalizar.

“Graças a Deus, a eleição acabou. Isso estava perturbando do roupeiro até o presidente. Nunca vi um negócio tão demorado e desgastante como foi essa eleição. Agressões diretas a mim e aos diretores. No último jogo, o Sport estava instável emocionalmente. Pela quantidade de erros dá para se notar. São atletas que venceram o Internacional há 40 dias no Beira-Rio. Será que desaprenderam? Não. Acontece que estavam abalados psicologicamente. Não foi só a eleição, mas o ambiente não estava legal. Mas, a partir de amanhã, vamos sentar, ter uma reunião, sem pressa e sem viés de uma eleição pela frente”, celebrou, por fim.

Um dos primeiros passos do segundo mandato de Milton Bivar será a escolha do novo técnico do time. O próprio presidente revelou que iniciou as negociações com Dorival Júnior, mas que o acerto ainda não foi firmado.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending