conecte-se conosco

AnalistasBahiaKauê Diniz

Produção da base rende dezenas de milhões ao Bahia

Avatar

Publicados

em

Incontestavelmente, o Bahia é o clube, entre os principais do estado, além de Pernambuco e Ceará, que mais traduz em oportunidades de gerar ativos financeiros suas divisões de base no Nordeste. Uma produção que vem rendendo reforço técnico, com a garotada em campo, e nos cofres do Tricolor de Aço, conforme poderá ser visto na lista abaixo de jogadores que surgiram nas divisões inferiores, entre as temporadas de 2017 e 2020, atuaram pelo profissional e seguiram outros caminhos. 

Do elenco de 2020, o lateral Douglas Borel e o meia Luiz Felipe permanecem no elenco. Os meias Caíque e Marco Antônio foram, respectivamente emprestados, em 2021, ao Al Nasr EMI e Botafogo, como o atacante Saldanha, negociado com o japonês Jef United.

O lateral-esquerdo Juninho Capixaba, de volta ao clube que o revelou, rendeu aos cofres do Bahia R$ 6 milhões, ao ser vendido, em 2018, ao Corinthians.

Já Matheus Bahia, lateral-esquerdo, e Patrick, volante, têm trajetórias semelhantes. Chegaram ao Bahia no último ano de juniores. Matheus voltou a sua terra natal, após passar pelas bases de Palmeiras e Athletico PR e se tornou titular na lateral do Tricolor na Série A 2020. Patrick chegou, ano passado, ao Palmeiras e, na reta final da Série A, ganhou espaço no time principal.

Confira também as análises sobre as divisões de base de Santa Cruz, Sport e Náutico

Goleiros

Jean – 25 anos

Com um Mundial sub-20, de 2015, no currículo, foi negociado com o São Paulo por cerca de R$ 12 milhões, em 2017, após temporada como titular no Bahia, que ainda detém parte dos seus direitos econômicos. Após disputar a Série A pelo Atlético GO de 2020, seguiu emprestado, em março de 2021, para o Cerro Porteño, do Paraguai.

Lateral-esquerdo

Maik – 21 anos

Esteve emprestado ao Joinville, em 2000, onde fez apenas cinco jogos, sendo dois pelo Catarinense e três na Série D.

Zagueiros

Eder Ferreira – 26 anos

Depois de duas temporadas (2016-2017) somando 25 aparições, o zagueiro foi emprestado ao Novorizontino e depois acertou contrato em definitivo com o Athletico PR. De lá, foi emprestado ao Sport e, ultimamente, ao Atlético GO.

Rodrigo Becão – 25 anos

O defensor nunca conseguiu ter sequência de jogos com a camisa tricolor. Em 2017, o jogador disputou 14 partidas e, apesar de conviver com críticas da torcida, despertou o interesse do CSKA e foi emprestado em 2018. Tornou-se titular absoluto, participou de 36 jogos, entre eles os dois triunfos sobre o Real Madrid na Liga dos Campeões. Em julho de 2019, o Bahia o vendeu a Udinese, onde é titular, por cerca de R$ 7 milhões.

Jaques – 23 anos

Com raras oportunidades no time principal do Bahia, foi emprestado ao Joinville, em 2020, onde foi titular.

Ignácio – 24 anos

Emprestado ao CSA, para a Série B 2020, para ganhar mais minutagem, atuou apenas em três jogos.

Everson – 23 anos

Após passagem pelo futebol português, esteve no Paraná, em 2020, onde não teve muitas chances de entrar em campo.

Volantes

Yuri – 27 anos

Conhecido por ser um bom ladrão de bola, teve mais um ano, em 2020, longe de Salvador. Defendeu o time rebaixado do Oeste à Série C.

Feijão – 27 anos

Teve oportunidade de mostrar serviço no time principal, sobretudo em 2016, quando disputou 42 jogos, mas terminou deixando o clube e, desde 2020, está no interior de Goiás, defendendo Anapolina e, depois, Anápolis, atualmente. 

Luis Fernando – 23 anos

Com raras oportunidades no time profissional, seguiu, por empréstimo, para o Naestved, que disputava a segunda divisão da Dinamarca na temporada 2019/2020, e hoje defende a Jacuipense.

Meias

Caio Mello – 21 anos

Após ter sua maior sequência no profissional do clube, em 2020, foi emprestado para o Joinville. Lá, foi titular durante a Série D.

Eric Ramíres – 20 anos

Emprestado em novembro até 31 dezembro de 2021 ao Bragantino, rendeu R$ 1,2 milhão ao Bahia pelo negócio, com uma opção de compra de 70% dos direitos econômicos fixada em R$ 12 milhões.

Felipe Araújo – 23 anos

Após poucas oportunidades no profissional nos últimos anos, seguiu para o Nacional de Muriaé/MG e Atlético e Alagoinhas/BA em 2020.

Caíque – 20 anos

Comprado pelo Bahia a Jacuipense por R$ 200 mil em julho de 2019, após chegar por empréstimo para as divisões de base do Tricolor um ano antes, Caíque teve 50% dos direitos econômicos negociados pelo Bahia ao Al Nasr, do Emirados Árabes, em setembro de 2020, por cerca de R$ 2,6 milhões. 

Kaynan – 23 anos

Teve ainda sete oportunidades em 2017 antes de começar a rodar por outros clubes: Marcílio Dias, Caldense, América MG, Votuporanguense, Joinville e Desportivo Brasil.

Atacantes

Rodrigo Rodrigues – 24 anos

Centroavante só teve duas oportunidades no time principal em 2016. No ano seguinte, começou sua peregrinação. Seis clubes até então: Juazeirense, Ferroviário, ABC – onde teve sua melhor fase em 2019 -, Atlético GO, Paraná e Vila Franquense, onde disputa a segunda divisão portuguesa no momento. 

Giovane Itinga – 23 anos

Sem muitas oportunidades no time principal do Bahia, o centroavante rodou por Santa Catarina em 2020, defendendo Juventus de Jaraguá, Brusque e Figueirense. Em 2021, disputa o Paulistão pelo São Bento.

Júnior Brumado – 21 anos

A presença no time profissional do Bahia, com 5 gols em 33 jogos em 2018, chamou a atenção do Midtjylland, da Dinamarca, que comprou, em janeiro de 2019, por R$ 9,5 milhões. O centroavante chegou a ser emprestado ao Silkeborg, também do mesmo país, no primeiro semestre do ano passado, e retornou ao Midtjylland.

Thiago Andrade – 20 anos

Artilheiro da Copa Brasil sub-20, teve oportunidade no profissional do Bahia e foi vendido por cerca de R$ 10 milhões ao New York City, dos EUA.

Confira também as análises sobre as divisões de base de Santa Cruz, Sport e Náutico

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending