conecte-se conosco

AnalistasCearáKauê Diniz

Ceará: Vendas milionárias x Baixa produção na base

Avatar

Publicados

em

A equação do Vozão mostra que, de alguma forma, a baixa produtividade na geração de novos valores da base não foi comprometida totalmente porque dois talentos ajudaram o clube a encher os cofres com negociações históricas. O dinheiro arrecadado com Arthur Cabral e Felipe Jonatan passou dos R$ 18 milhões, porém o cenário deixa um alerta.

Atualmente, há 5 nomes querendo repetir esse caminho no clube. O lateral-direito Marcos Ítalo; o zagueiro Alan; e os atacantes Rick, João Victor, que, aos 16 anos, teve sua primeira oportunidade em 2021, Cristiano, emprestado ao Confiança neste ano para ganhar rodagem.

Apesar de um aproveitamento superior de jogadores da base nas últimas quatro temporadas, de 2017 a 2020, em relação ao rival Fortaleza, a grande maioria se perdeu pelo caminho. Ao catalogar esses nomes, chamou atenção os inúmeros jogadores que chegaram ao Ceará, nesse período, na faixa de 20 e 21 anos, estourando a idade dos juniores. Dá a entender que ouve uma aposta em garimpar jogadores que estavam deixando outros clubes, ao encerrar suas passagens pela base, e não seriam aproveitados por eles. 

Confira também as análises sobre as divisões de base de Santa Cruz, Sport, Náutico e Bahia

Lateral-esquerdo

Felipe Jonatan – 23 anos

Revelação do clube em 2018, foi negociado com o Santos por R$ 6 milhões. Tem o nome ligado a transferências internacionais, sobretudo com o futebol italiano. O Palmeiras ofereceu, em março, 1 milhão de euros, mas a proposta foi recusada.

Volantes

Rômulo – 25 anos

Com poucas chances no profissional, rodou por times menores cearenses e, em 2020, defendeu o Lagarto e o Campinense. Em 2021, veste a camisa do Treze.

Raul – 24 anos

Depois de se firmar como titular do Ceará em 2017, o volante saiu de graça, em fim de contrato, para o Vasco. Em 2020, o jogador se transferiu para o Bragantino.

Matheus Lira – 23 anos

Teve oportunidades em 2018 e depois começou a rodar por últimos clubes, como, em 2020, River-PI e Barbalha e, agora em 2021, Americano-RJ e Gama.

Vinicius – 21 anos

Jogou somente quatros jogos pelo profissional. Em 2020, foi jogar no Independente de Limeira-SP.

Atacantes

Robinho – 26 anos

Com a camisa alvinegra, Robinho fez 37 partidas no profissional e passou também por Confiança/SE, Novo Hamburgo/RS, Cuiabá/MT e Santa Cruz, onde se destacou com oito gols em 38 jogos. Foi o suficiente para o Vozão vendê-lo, em 2019, por US$ 200 mil, para o Columbus Crew, dos EUA. Ano passado, esteve no Orlando City, sem sucesso. Em 2021, voltou ao Brasil e é titular do Confiança.

Clemer – 23 anos

Com poucas chances, seguiu para o futebol português, em 2018, defendendo sempre equipes de divisões inferiores, como o atual Câmara de Lobos, da Série C.

Arthur Cabral – 23 anos

Possivelmente a maior revelação do Vozão nas últimas décadas, o centroavante marcou 24 gols em 55 jogos na temporada 2018, sendo negociado com o Palmeiras no ano seguinte. Meses depois, foi para o Basel, da Suíça, onde acumula 37 gols em 70 partidas e é cogitado já em alguns clubes das maiores ligas nacionais europeias. No somatório das transações, Arthur rendeu R$ 12,9 milhões, maior negociação do futebol cearense.

Rafinha – 24 anos

Depois de algumas chances no time profissional, sobretudo em 2017, além de 2018, começou a rodar o país defendendo outros clubes: Boa Esporte, Tombense, Atlético Cearense, Lagarto, Uberaba e Unaí, neste ano.

Eduardo – 21 anos

Tem no currículo 1 gol em 14 jogos pelo profissional do Ceará, entre 2018 e 2019. Ano passado, foi para a Tombense e, em 2021, vem atuando na A3 de São Paulo pelo Primavera. 

Confira também as análises sobre as divisões de base de Santa Cruz, Sport, Náutico e Bahia

Trending