conecte-se conosco

NáuticoPEPernambucanoSportÚltimas

Kieza decide no tempo normal, nos pênaltis e o Náutico quebra tabu contra o Sport

Foto: Tiago Caldas/CNC

Publicados

em

De Ramos a Kieza e de Duque a Hélio dos Anjos passaram-se 53 anos. O palco da partida, o estádio dos Aflitos, mudou, foi repaginado, cresceu e viu, cinco décadas depois, um grande tabu chegar ao fim: o Náutico voltou a conquistar o título do Campeonato Pernambucano sobre o rival Sport. O peso não é o mesmo do hexa de 1968, mas vale a festa dos alvirrubros que esperaram por este momento por tanto tempo.

Neste domingo (23), o Timbu empatou o Leão por 1×1, com gols de Kieza e Mikael, na reta final da partida. Nos pênaltis, o artilheiro alvirrubro marcou o último pênalti, Giovanny teve de cobrar dois pênaltis após intervenção do VAR e o Timbu levantou a taça do Estadual. Melhor em campo e em toda a competição, o Náutico leva o Pernambucano pela 23ª vez.

Jogo truncado, faltas e cartões

O ponteiro ainda nem tinha dado a primeira volta no cronômetro e o árbitro já havia dado o primeiro cartão amarelo da partida. O jogador punido foi Maidana aos 40 segundos, mas ele não foi o único na etapa inicial, que teve mais faltas e reclamações do que o futebol propriamente dito.

Adryelson, Bryan e Rhaldney, em campo, também receberam o amarelo. No banco, Luiz Henrique e Trellez foram punidos. Com a bola rolando, apenas um grande momento aconteceu aos 18 minutos. Após cobrança de escanteio, Mailson falhou e Kieza chutou, mas Maidana salvou de cabeça em cima da linha. Pelo lado do Sport, ainda ficou o prejuízo de perder Everaldo, machucado, substituído por Toró.

Artilheiros decisivos

O Náutico continuou superior e colocou uma bola no travessão com Kieza. O próprio artilheiro alvirrubro foi o responsável por dar esperança ao Timbu do título. Aos 32 minutos, após bobeada da defesa rubro-negra, o atacante avançou e mandou na saída de Mailson para abrir o placar. Logo na sequência, Jean Carlos ainda acertou o travessão novamente.

Porém, o Sport conseguiu ser letal quando pressionou na reta final e também com um artilheiro. Toró mandou para a área e Mikael apenas teve o trabalho para empurrar para o fundo do gol.

Pênaltis com VAR

O Náutico foi perfeito nas cobranças. Balançou as redes com Jean Carlos, Vinícius, Hereda, Giovanny e Kieza. Enquanto o Sport marcou com Maidana, Mikael e Trellez marcaram. Marquinhos mandou para fora. Enquanto Giovanny perdeu com a defesa de Mailson. Mas o VAR mandou voltar porque o goleiro se antecipou. Na repetição, o meia marcou. E, no fim, Kieza fez jus à fama de artilheiro para marcar o gol do título.

Ficha do jogo

Náutico 1 (5)
Alex Alves; Hereda, Camutanga (Ronaldo Alves), Wagner e Bryan; Djavan (Trindade), Rhaldney (Marciel) e Jean Carlos; Erick (Giovanny), Vinícius e Kieza. Técnico: Hélio dos Anjos.

Sport 1 (3)
Mailson; Patric, Maidana, Adryelson e Sander; Marcão (Trellez), Zé Welison (Thiago Lopes) e Júnior Tavares; Neilton (Marquinhos), Everaldo (Toró) e Thiago Neves (Mikael). Técnico: Humberto Louzer.

Local: Estádio dos Aflitos, no Recife. Gols: Kieza (Náutico), aos 32 do 2ºT; Mikael (Sport), aos 42 do 2ºT. Cartões amarelos: Rhaldney, Bryan, Erick, Jean Carlos, Kieza e Luiz Henrique (Náutico); Maidana, Adryelson, Marquinhos e Trellez (Sport).

Ouça agora:

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending