conecte-se conosco

ALCSAMASampaio CorrêaSérie BÚltimas

CSA joga melhor, mas Sampaio se segura e empatam no Rei Pelé

Equipes nordestinas continuam sem vitórias na Segundona

Foto: Brasileirão Série B, via Célio Júnior/ AGIF

Publicados

em

O CSA foi superior, sobretudo no primeiro tempo, onde criou boas chances, mas não conseguiu aproveitar diante do Sampaio Corrêa, que se segurou como pôde, apesar da leve melhora na etapa complementar. Assim, o duelo nordestino acabou zerado, na tarde deste sábado, no Rei Pelé, pela segunda rodada da Série B.

E agora?

Com o resultado, o Azulão pontuou pela primeira vez, aparecendo em 15º, enquanto a Bolívia soma o segundo ponto, em oitavo. Na sequência, o CSA visita o Vila Nova, sábado, enquanto o Sampaio recebe a Ponte Preta, sexta.

O jogo

O primeiro tempo foi de domínio do Azulão, que teve mais organização, posse de bola e boas chances criadas. Porém, não conseguiu marcar. A Bolívia, por sua vez, teve enormes dificuldades, sofrendo com a falta de entrosamento – passa por reformulação -, sem conseguir impor um padrão ofensivo, muito menos impedir os avanços alagoano.

Superioridade do CSA

Impondo um bom ritmo, o Azulão conseguiu envolver o Sampaio e criou bastante pelos lados, sobretudo o direito, com boa participação de Norberto. A primeira chance, porém, foi pela esquerda, logo aos quatro minutos. Silvinho recebeu na linha de fundo e cruzou rasteiro para Yuri, livre, na marca do pênalti, que finalizou fraco e no meio, para defesa de Mota.

Pouco depois, aos 18, Gabriel recebeu em situação parecida, pela direita e tocou para Marco Túlio, entrando na área, em boas condições, que, assim como Yuri, chutou mal, sem direção.

Confortável, o CSA seguiu dominante. E empilhando chances perdidas. Aos 33, Norberto foi na linha de fundo, limpou a marcação e serviu Silvinho, que livre na linha da pequena área, isolou. Na jogada seguinte, o próprio lateral entrou na área em jogada individual, tirou a marcação e chutou bem, mas parou em Mota.

Enquanto isso, o Sampaio não conseguiu sair, seja aproveitando os espaços dados pelo CSA nas investidas, ou em construção ofensiva, com um futebol pobre ofensivamente – não fosse um chute de fora da área de Jajá, nos acréscimos, a Bolívia teria sido nula no campo de ataque. Primeiro tempo com 8 a 2 em finalizações para os mandantes.

Segundo tempo

A etapa complementar voltou com o CSA ainda melhor, mas sem a ampla superioridade apresentada no primeiro tempo, uma vez que o Sampaio conseguiu segurar um pouco mais a posse de bola na frente, buscando sobretudo jogadas individuais com Jajá. Porém, defensivamente, a Bolívia seguiu frágil e dando espaços pelos lados ao Azulão.

Porém, o CSA também continuou sem aproveitar. Em jogada pela esquerda, Silvinho avançou e tentou cruzamento rasteiro, mas parou em Mota. Pouco depois, do outro lado, Marco Túlio recebeu na lateral da grande área e fez o pivô para Norberto, que chutou bem, mas parou na trave.

O tempo foi passando e o Azulão se mandou ainda mais para frente, inclusive acionando o artilheiro Dellatorre, mas apesar da maior posse de bola e proximidade da área, não abriu o placar. Já a Bolívia ganhou espaço para contra-atacar e até teve uma jogada dois contra dois com Jefinho e Jajá, mas não aproveitou. No fim, placar zerado, apesar da superioridade e chances desperdiçadas pelo Azulão, sobretudo na primeira etapa.

Ficha

CSA 0

Thiago Rodrigues; Norberto, Matheus, Lucão, Kevyn (Vitor Costa); Gabriel, Geovane, Nadson; Silvinho (Italo Melo), Iury (Aylon) e Marco Túlio (Dellatorre). Técnico: Bruno Pivetti

Sampaio Corrêa 0

Mota; Watson (Pablo [Guilherme Teixeira]), Joécio, Nilson Júnior, Zé Mário; André Luiz, Mauro Silva, Daniel Costa (Jean Silva); Jajá (Eloir), Jefinho (Ciel) e Guilherme Campana. Técnico: Felipe Surian

Local: Rei Pelé, Maceió
Gols:
Cartões amarelos: Watson, Zé Mário (SAM); Iury (CSA)

Trending