conecte-se conosco

ALCopa do BrasilCRBÚltimas

Aal exalta entrega e diz que CRB soube jogar contra o Palmeiras

Treinador avaliou cenário da classificação na Copa do Brasil; veja

Foto: Divulgação/ CRB

Publicados

em

Como não poderia deixar de ser, o técnico Allan Aal comemorou demais a classificação do CRB, que venceu o Palmeiras por 1 a 0 no tempo normal e triunfou também nos pênaltis, na noite da última quarta-feira, pela volta da terceira fase da Copa do Brasil. De acordo com o treinador, o Galo da Pajuçara soube enfrentar o Verdão e teve a entrega necessária para uma partida deste porte.

LEIA: Heroi na Copa do Brasil, Diogo Silva destaca estratégia do CRB
LEIA: Nos pênaltis, CRB bate Palmeiras no Allianz e avança na Copa do Brasil
VÍDEO: Assista ao gol da vitória do CRB contra o Palmeiras
LEIA: Irretocável: Diogo Silva recebe nota dez do Sofascore em vitória do CRB

“Passou na minha cabeça, desde o começo do jogo, que a gente poderia, com organização e inteligência, buscar uma classificação. Sabíamos que seria muito difícil fazer os dois gols no tempo normal (mas) mesmo assim tivemos algumas possibilidades. No momento que a gente teve essa dificuldade de sair de trás, não abrimos mão de jogar. E não foi nem uma estratégia de fazer um gol ou coisa parecida: foi de jogar o jogo, saber jogar o jogo”, analisou.

As estatísticas do jogo apontaram 34 a 2 em finalizações para os mandantes, com Diogo Silva recebendo nota dez do Sofascore, além de 29% de posse de bola para o CRB. Segundo Aal, o Galo impediu boa parte das ações do time paulista. 

“O Palmeiras dentro de casa se tornaria mais ofensivo do que já é. E dentro da qualidade do Palmeiras, conseguimos neutralizar a maioria das ações. E, ao mesmo tempo, quando recuperávamos a bola, procurávamos jogar. Não é fácil enfrentar o Palmeiras aqui e a gente fica feliz pela entrega dos atletas, pela organização e, principalmente, pela postura de enfrentar um grande adversário, o atual campeão da Copa do Brasil, com respeito, mas ao mesmo tempo com coragem de jogar mesmo quando estava sob pressão”, concluiu.

Ouça a partir do minuto 16′:

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending