conecte-se conosco

PESanta CruzSérie CÚltimas

Em pior largada na Série C, Santa se espelha em raras classificações após início ruim

Rafael Melo/Santa Cruz

Publicados

em

O Santa Cruz vive um início ruim na Série C. Após quatro jogos, são dois empates e duas derrotas, além de ter marcado apenas dois gols. Vice-lanterna do Grupo A, o Tricolor vive sua pior largada, com um ponto a menos que tinha na quarta rodada de 2019. Mais que isso, porém, a história do campeonato mostra que, nos nove anos de disputa neste formato, apenas dois times conseguiram a classificação após uma largada tão abaixo.

Esta é a sétima participação do Santa Cruz na Terceira Divisão. Todas as experiências já foram vividas pelo Tricolor na competição, do título ao rebaixamento, da classificação à eliminação na primeira fase. Fato é que nunca antes os corais tinham vivido um início tão ruim. Os dois pontos ganhos são menores que os três que o time tinha em 2019, quando caiu na primeira fase, ou, mesmo, que os seis ganhos em 2008, ano que a campanha culminou no rebaixamento à Série D.

Se pensar em queda ainda pode ser uma realidade distante para um clube do porte do Santa Cruz, pensar em classificação também já começa a parecer distante. Das 13 campanhas iniciadas em dois pontos, apenas uma terminou com classificação, a do Confiança, em 2015. Também há uma campanha iniciada com um ponto que virou a chave para garantir a vaga: a do Náutico em 2018.

Hoje, ainda buscando se encontrar no campeonato, o Tricolor pode encontrar um norte nessas duas campanhas.

Para o Confiança, o time ocupava a vice-lanterna, com empates contra empates frente a ASA e Águia-PA, e derrotas contra Cuiabá e Botafogo-PB. A primeira vitória só aconteceu no quinto jogo, sobre o lanterna Icasa. Depois, com mais duas vitórias e um empate, o Dragão terminou o primeiro turno em quinto, com 12 pontos, dois a menos que o quarto colocado. Na segunda metade, o time teve a melhor campanha, com seis vitórias e 19 pontos, terminando em quarto.

O Náutico, por sua vez, começou 2018 com três derrotas, frente a Confiança, Botafogo-PB e Atlético-AC, além de um empate com o próprio Santa Cruz. A quinta rodada trouxe a primeira vitória, sobre o Salgueiro, e o turno só teve mais dois triunfos, deixando o time em oitavo, com 10 pontos. Roberto Fernandes, inclusive, era o treinador do Náutico nesse início ruim de 2018, sendo demitido após a terceira rodada.

No segundo, porém, o Timbu foi o melhor time, com 21 pontos e nenhuma derrota. Isso foi o suficiente para deixar o time em primeiro. Mesmo assim, nem Confiança, nem Náutico conseguiram transformar a vaga em acesso mais à frente.

Com esses inícios fracos, a largada com dois pontos mostra um histórico de 8% de acesso, ou 9% se contarmos também as campanhas que largaram com apenas um ponto. Quando se fala de rebaixamento, porém, a realidade é diferente.

Se apenas um time que largou com dois pontos conseguiu buscar a vaga, seis dos 13 times que tiveram essa largada terminaram o ano com a vaga na Série D. Um histórico de 46% de rebaixamentos, o que ainda não deve alertar o Santa Cruz sobre risco de queda, mas sobre a necessidade de uma rápida reviravolta na campanha.

Inícios ruins que terminaram com a vaga

2015 – Confiança
4ª rodada – 9º, com 2 pontos
18º rodada – 4º, com 31 pontos

2018 – Náutico
4ª rodada – 10º, com 1 ponto
18ª rodada – 1º, com 31 pontos

Histórico

Largadas com 2 pontos:
1 classificação
6 permanências
6 rebaixamentos

Largadas com 1 ponto:
1 classificação
3 permanências
6 rebaixamentos

Largadas com 0 ponto:
2 rebaixamentos

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending