conecte-se conosco

BASérie BÚltimasVitória

No Vitória, Ramon Menezes condena ação de organizada em aeroporto: “agressão”

Pietro Carpi/EC Vitória

Publicados

em

A quinta-feira foi um dia conturbado para o Vitória. Após o elenco e o treinador Ramon Menezes sofrerem pressão no Aeroporto de Salvador, durante o embarque para Pelotas, onde o Leão enfrenta o Brasil-RS neste sábado, o técnico comentou sobre a reação da torcida. Em entrevista coletiva, já no Sul, Ramon lamentou o ocorrido, que ele definiu como agressão verbal. Para o treinador, este é um momento de união no Vitória e manifestações como aquela não são o que o clube precisa.

Na visão de Ramon Menezes, aquele tipo de protesto pode ser algo grave. “A gente tem que tomar um cuidado muito grande em relação a tudo isso, até mesmo o que acontece no futebol brasileiro, porque vai chegar um ponto que pode acontecer algo muito mais grave. Eu acho que a manifestação é válida quando tem jogo no estádio; o torcedor tem o direito de cobrar e pressionar. Agora, uma manifestação como aquela, você agredir com palavras e qualquer tipo de agressão, eu sou completamente contra”.

Ramon também relatou sua relação com o clube como um argumento para garantir a dedicação dele e de todos no clube para fazer o Leão voltar aos trilhos na Série B. “O torcedor sabe do carinho e respeito que tenho por ele e por esse clube. Todos nós somos funcionários do clube e estamos trabalhando para melhorar. A gente sabe do momento que o clube se encontra, do momento que encontramos na competição. Eu tenho um mês no comando da equipe. Estou sentindo que, mesmo sem os resultados, estamos evoluindo em campo”.

Em meio a esse cenário, o treinador também garantiu que a necessidade no clube é de união. “É o momento de unirmos forças, esquecer qualquer lado político, porque o mais importante é o Vitória. Estou aqui de corpo e alma. Quando cheguei aqui e vencemos a primeira partida contra o Inter, criou-se uma expectativa muito grande. Mas, naquele momento, eu já disse no vestiário que tinha sido bacana, mas em um grupo jovem como o nosso, pode haver qualquer tipo de oscilação”.

Por fim, Ramon Menezes ainda garantiu que existe pressão interna por resultados no Vitória. “A cobrança entre nós existe. Autonomia com os atletas, na parte da gestão, isso daí é com o treinador, é comigo. É lógico que ficar seis jogos sem vencer incomoda. Mas estamos há três sem perder também. É uma competição que você precisa pontuar. Estamos muito próximos da vitória”.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending