conecte-se conosco
Erick_Ceará Erick_Ceará

CECearáPESérie AÚltimas

Por que o Ceará? Erick explica escolha e diz: ‘Maior do Nordeste’

Foto: Wilton Hoots / CSC

Publicados

em

Depois de pouco mais de 20 dias de negociações, Erick acertou, enfim, com o Ceará e foi apresentado oficialmente pelo Vozão na tarde desta terça-feira, em Porangabuçu, ao lado do diretor de futebol Jorge Macêdo.

Em entrevista coletiva com a imprensa, o atacante falou sobre o bom momento que viveu no Náutico no Estadual e Série B, o porquê da escolha em acertar com o Alvinegro, os planos para essa temporada e mais. Leia, na íntegra, os pontos abordados.

Erick tem contrato até o final de 2023 com o Vozão, que adquiriu 50% dos direitos econômicos do avançado junto ao Braga, de Portugal, dono do seu passe. No time cearense, inclusive, vai ganhar aproximadamente R$ 120 mil de salário, o dobro do que recebia no Timbu.

O que fez optar por Ceará?

“O Ceará é o maior do Nordeste. E como você falou, eu tinha outras possibilidades de outros times, mas optei por aqui, acredito no projeto e fico feliz com a confiança que foi depositada em mim, estou muito feliz, motivado , espero que seja um grande ano aqui para a gente poder conquistar os objetivos”.

Comparação com o jeito de jogar de Neymar

“Quando eu estava no Náutico já me falaram algumas vezes, além de ser um grande fã dele, ele é o meu ídolo. Eu tenho as mesmas características dele, mas quando eu estava no Náutico já fizeram essa comparação comigo”.

Objetivos para a temporada 2021

“Quero dar sequência ao que vinha fazendo no Náutico, espero conquistar títulos pelo clube, conquistar uma classificação para a Sul-Americana, para a Libertadores. O Ceará é um grande clube, e eu tenho que pensar alto para ajudar o clube da melhor maneira possível”.

O que não deu certo no Braga?

“Acho que faltou um pouco de oportunidade, só joguei um jogo para a equipe principal, depois desci para a equipe B, acho que foi isso. Sofri um pouco com adaptação na Europa, cheguei lá com 19 anos, ainda era um menino naquela época, hoje sou um jogador mais maduro, apesar de ser novo, mas faltou um pouco de oportunidade”.

História de vida dentro do futebol

“Minha carreira começou muito rápido, fui na base do Cruzeiro, Santos, depois fui para a base do Náutico. Algo que me marcou muito foi quando eu subi para o profissional, porque com três jogos eu já subi para o time principal, passei apenas seis meses no profissional e fui logo para Portugal. Acho que o que me marcou mais foi isso, essas mudanças rápidas na carreira”.

Recepção dos atletas/se já jogou com alguém

“Recepção muito boa, são excelentes jogadores, eles me acolheram muito bem, apesar de eu ser muito tímido, fui muito bem acolhido. E já joguei com o Cléber, no Vitória, é um grande amigo meu e vem me ajudando a me adaptar o mais rápido possível ao clube”.

Retornar à Série A

“Eu estou feliz a voltar jogar a Série A, ainda mais por um grande clube que é o Ceará, estou motivado, estou aqui para ajudar e eu espero que seja um grande ano”.

Recepção da torcida

“Foi uma negociação difícil. Eu acabei meu empréstimo dia 30, quando acabou meu contrato no Náutico, e deu a possibilidade de ir para o Ceará, e eu escolhi vir para cá pelo projeto. E a partir do momento disso, a torcida do Vozão invadiu o meu Instagram mandando mensagem de boas vindas, fiquei até um pouco surpreso quando o clube anunciou oficialmente e só tenho a agradecer ao torcedor pela confiança”.

Como é ficar de fora do Clássico-Rei?

“Eu estou um pouco triste de perder os melhores jogos, que são sempre os clássicos, infelizmente não vou poder jogar, mas vai ficar impossível de fazer minha estreia, mas vou ficar na torcida, queria jogar muito, a vontade é grande. Mas agora é ter um tempo para me preparar para ficar bem e estar na melhor forma possível na estreia”.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending