conecte-se conosco
Renato Cajá, meia do CSA Renato Cajá, meia do CSA

ALCSASérie BÚltimas

Meia relata tristeza pelos maus resultados do CSA e valoriza cobrança

Publicados

em

O CSA vem de duas derrotas seguidas na Série B e não tem conseguido deixar a segunda metade da tabela da competição. Primeiro, perdeu do Botafogo fora de casa, por 2 a 0, em jogo atrasado da 6ª rodada. Depois, caiu diante do Remo no último fim de semana, por 1 a 0, em Belém-PA. Muito pouco diante das pretensões da equipe, que desde o começo do campeonato pôs como meta a conquista do acesso.

Internamente, a cobrança tem acontecido. Houve uma chegada recente de reforços pedidos pelo técnico Ney Franco, que assumiu a equipe há menos de um mês (foi apresentado no dia 12 de julho), e o CSA ainda não conseguiu engrenar na Segundona. Diante disso, houve uma cobrança do presidente Rafael Tenório à direção e comissão técnica, que também cobrou dos atletas. O elenco se revela triste pela atual situação, mas exalta que a cobrança é justa e deve existir para que o Azulão alcance suas pretensões no campeonato.

“O presidente tem total autoridade pra chegar e cobrar o elenco, estamos aqui para aprender, para crescer. Ele é um cara experiente, o cara está aqui dentro do clube e a gente só tem que escutar e trabalhar pra melhorar, né? Acredito que o time todo está se cobrando, todo mundo está triste por esses dois jogos que perdemos e a gente tá se cobrando por isso”, disse o meia Renato Cajá.

Na visão do experiente meio-campista, o CSA também enfrenta um pouco dessas dificuldades por conta das trocas recentes de técnico, além da chegada e saída de atletas. Então esse processo de reconstrução pesaria um pouco neste momento antes das coisas melhorarem. “Sabemos de toda situação que o clube passou, a gente está se reconstruindo com os atletas que tem e sabíamos que íamos ter dificuldades na competição, com troca de técnicos, troca de jogadores. A gente sem tempo pra treinar, sem tempo pra se preparar, então, sabia que ia sofrer um pouco”, acrescentou.

Mesmo assim, Cajá se mostra esperançoso. Para ele, mesmo com essas adversidades, há evolução no elenco do CSA e ele espera que o crescimento esperado para a chave “virar”, dando assim gás para brigar na parte de cima da tabela, vai acontecer com o Azulão.

“A equipe está amadurecendo, vai encorpar, as peças que estão chegando vão dar esse corpo para a gente, para que possamos crescer na competição, e é normal isso acontecer. Às vezes, os times que estão lá em cima têm uma queda no segundo turno e às vezes quem está lá em baixo começa a se encaixar e sobe na hora certa. Essa é a minha expectativa pra que essa equipe possa crescer, e todo mundo possa ter essa responsabilidade de levar o CSA pra Série A”, encerrou Renato Cajá.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending