conecte-se conosco

PESérie ASportÚltimas

Louzer admite atuação aquém e explica opções no Sport

Confira principais trechos da entrevista coletiva do técnico após a derrota para o Flamengo

Foto: Anderson Stevens/ Sport Recife

Publicados

em

O Sport foi dominado e perdeu por 2 a 0 para o Flamengo, neste domingo, no estádio Raulino de Oliveira, pela 17ª rodada da Série A. Depois do confronto, o técnico Umberto Louzer reconheceu que a equipe teve rendimento abaixo do que vinha apresentando nas partidas anteriores, mas também destacou a força da equipe carioca.

LEIA: Sport perde para o Flamengo no Rio e pode entrar no Z4 da Série A
LEIA: Hernanes celebra estreia e projeta evolução no Sport

“Não fizemos a nossa melhor partida, tivemos uma tarde abaixo do que a gente vinha apresentando nas últimas partidas e quando se enfrenta uma equipe como a do Flamengo pela qualidade, capacidade e entrosamento que eles vêm tendo com os resultados expressivos nas últimas temporadas, por isso tivemos essa dificuldade. Credenciar também aos nossos desfalques, que isso atrapalha nas ações e nas mexidas. Mas a gente credencia a esses dois aspectos”, avaliou o treinador.

Além disso, Louzer explicou as opções que fez para a partida, tanto pela estratégia inicial quanto pelas mudanças que promoveu no decorrer do jogo. Minutos antes do jogo, aliás, o técnico havia perdido Rafael Thyere e, no começo do duelo, Gustavo saiu lesionado.

“Infelizmente a gente perdeu o Thyere no aquecimento. O Thyere, assim como o Zé (Welison), tiveram dificuldades ao longo da semana e o Zé ainda conseguiu suportar, mas o Thyere infelizmente não conseguiu. As nossa alterações, não fizemos as trocas antes, porque as características que o jogo estava pedindo eram de atletas que não tinham condições de atuar 45 minutos, como eram os casos de Thiago Lopes e do Hernanes e por isso a gente não fez essas alterações no intervalo do jogo e preferimos a manutenção da equipe que finalizou o primeiro tempo”, concluiu. 

Com o resultado, acabou a série de quatro jogos sem derrota e o Sport entrou na zona de rebaixamento por conta da vitória do Cuiabá na rodada. Na sequência, o Leão enfrenta o São Paulo, próximo domingo, na Ilha do Retiro.

Confira outros trechos da entrevista coletiva 

Qual foi a principal dificuldade no ataque?

“Encontramos dificuldades tanto para jogar, quanto para marcar. Confesso que fizemos um jogo abaixo daquilo que a gente pode e vinha rendendo. Mas não vamos esquecer o que esses atletas têm apresentado. Temos que ver o copo meio cheio. Não podemos apontar pra ninguém para achar vilões e nós temos que continuar trabalhando, continuar evoluindo, porque não fizemos um bom jogo na tarde de hoje e agora é preparar a semana para que a gente possa fazer um bom jogo contra o São Paulo e que a gente possa voltar a vencer”.

O Sport foi passivo ou a qualidade do Flamengo se impôs?

“Acredito que as duas situações. A gente comentou isso no intervalo, que estávamos muito passivo, a gente tava muito distante tanto para marcar, quanto para jogar, erramos muito na retomada de bola. A gente sabia que o adversário ia apostar nessa posse e a gente precisava qualificar mais a nossa posse para podermos sair na transição. Nós pecamos no distanciamento defensivo por conta desse distanciamento e deixamos a equipe adversário nos envolver. Quando a gente tinha a bola não conseguimos conectar nossas jogadas. A gente credencia essa vitória por esses dois aspectos. Claro que pela qualidade do adversário, mas hoje não podemos negar o que tivemos abaixo do que a gente pode render. Mas não podemos esquecer do que esses atletas vem fazendo. Eles estão se dedicando mesmo com todas as dificuldades que estamos enfrentando”.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending