conecte-se conosco

PESérie ASportÚltimas

Sport: Thiago Neves retorna, mas ainda busca ritmo ideal

Meia foi titular depois de quatro jogos; Louzer avaliou

Foto: Anderson Stevens/ Sport Recife

Publicados

em

A escalação do Sport para enfrentar o Flamengo, no último domingo, teve dentre as novidades o retorno de Thiago Neves ao time titular após cinco partidas. O que não significa, entretanto, que o jogador esteja no ritmo de jogo ideal.  Desfalque recente por ausência em treinamentos e problema muscular, o meia ainda precisa ‘’encorpar’’, ou seja, adquirir a melhor forma, de acordo com o técnico Umberto Louzer. E a projeção é que isso ocorra de forma gradativa, avaliou.

LEIA: Sport faz contato por Pedro Henrique, do Inter
LEIA: Sport reavalia jogadores de olho em encorpar elenco contra São Paulo

“Thiago é um atleta diferenciado e precisa desses minutos dentro de campo até mesmo para poder encorpar e potencializar as suas capacidades. Eu tenho certeza que com os treinamentos e os minutos, ele vai ajudar na temporada”, disse o treinador. 

Thiago Neves havia sido titular pela última vez diante do Fluminense, há pouco mais de um mês. Em seguida, virou baixa contra o América-MG porque ficou ausente das atividades por uma semana, quando cogitou deixar o clube. Com a situação contornada, voltou aos treinos e foi relacionado contra o Ceará, onde sentiu incômodo na panturrilha durante o aquecimento.

Então, nem entrou e voltou a ser baixa frente ao Bahia, voltando a ser utilizado no decorrer da partida com o Red Bull Bragantino, até começar jogando diante do Flamengo.

Diante do time carioca, o meia teve atuação discreta, apesar de ter gerado uma das poucas chances de perigo do Sport, através de uma cobrança de falta lateral no fim do primeiro tempo. No total, atuou por 56 minutos, deu 27 toques na bola e teve 84% de aproveitamento nos passes, mas sem finalização, segundo o Sofascore. Louzer também explicou a intenção com a escalação de Thiago Neves.

“Sofremos com alguns desfalques, precisávamos de um articulador. A ideia é que a gente tivesse o Thiago e o Gustavo por dentro dando liberdade maior para o Hayner, assim como fizemos com o jogo do América-MG e uma sustentação para o Zé Welison e no setor do (Everton) Felipe com essa liberdade do Hayner. Infelizmente a gente não conseguiu essas conexões”, analisou.

Depois de ser destaque do Sport na última Série A e fundamental para a permanência, o meia tem tido dificuldades na atual temporada, onde convive com idas ao departamento médico (uma vez por Covid-19 e três vezes por problema muscular). Ao todo, tem 17 jogos (dez no Brasileirão) e dois gols marcados (um na elite).

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending