conecte-se conosco

NáuticoPESérie BÚltimas

Chamusca pretende manter modelo de jogo, mas com sua característica de trabalho

Foto: Tiago Caldas/CNC

Publicados

em

O técnico Marcelo Chamusca iniciou, nesta sexta-feira (20), a sua passagem pelo Náutico. Apresentado oficialmente, o novo comandante alvirrubro já comandou a primeira atividade com o elenco e confirmou que não pretende mudar o modelo de jogo implantado na equipe com Hélio dos Anjos. O treinador, no entanto, colocará um pouco das suas características de acordo com o que tem à disposição no elenco.

Para o treinador, os bons números apresentados pelo Náutico na temporada e a falta de tempo impedem grandes mudanças. Portanto, a ideia é fazer pequenas adaptações para que o Timbu reencontre o caminho das vitórias.

“O Náutico tem muitas virtudes que foram apresentadas no primeiro turno. Fiz um levantamento estatístico e o Náutico é o melhor em média de posse, de desarme no campo do adversário com 12 por jogo. São muitos pontos positivos. Minha ideia em relação ao modelo é preservar as virtudes, mas lógico que cada treinador tem a sua característica e devemos mudar um ponto ou outro dentro da nossa ideia. Vamos trabalhar em cima do que o Náutico já vem apresentando e aproveitando as características dos jogadores para voltar a ter resultado. vamos aproveitar as virtudes. Estamos iniciando um trabalho no final de agosto, não posso chegar aqui com grandes transformações até porque não tenho tempo hábil e é humanamente impossível para o atleta mudar tudo com três ou quatro dias de treinamentos. É preciso ter inteligência e sabedoria, bom senso e coerência”

Confira abaixo outros trechos da coletiva de Marcelo Chamusca:

ESCOLHA PELO NÁUTICO

– Primeiro a oportunidade de trabalhar numa equipe com a grandeza e a história centenária. Um clube de massa. Essa oportunidade me mobilizou, fez com que o meu olho brilhasse para vir trabalhar. Claro que vários aspectos foram analisados. O time, o elenco, a seriedade da diretoria, o posicionamento da equipe na tabela. Isso é importante. A gente vai ter um período com um pouco mais de tempo para treinar a equipe e isso foi importante. Eu vim para ajudar o Náutico a retomar o caminho das vitórias. A gente vem há cinco jogos sem ganhar e o Náutico precisa voltar a vencer para subir na tabela. Eu venho com esse objetivo. E brigar pelas quatro vagas que dará ao Náutico a possibilidade de voltar à Série A em 2022. Nós vamos trabalhar diuturnamente com o maior compromisso e dedicação possível para conseguir esse objetivo e marcar a nossa passagem. A gente vai colocar o máximo de intensidade possível. A competição exige isso.

EMOCIONAL

– A questão emocional é fundamental nesse momento para a retomada do Náutico na competição. Então vamos, de fato, investir muito nesse aspecto e acredito que a partir de hoje, que eu vou ter a oportunidade de conversar com os atletas já pensando no próximo jogo, contra o CSA, a gente já vai começar a trabalhar essa retomada. O Náutico tem uma boa equipe, o time é competitivo. O Náutico hoje tem um elenco com bons jogadores. As informações em relação a esse grupo de atletas é de que é um grupo comprometido, que trabalha muito e que quer muito e tem ambição para buscar o objetivo principal do clube. Então é em cima desses aspectos que iremos trabalhar. A gente tem uma diretoria extremamente competente pelo histórico mostrado ao longo dos anos e as conquistas que o Náutico conseguiu adquirir. A gente tem jogadores comprometidos e com ambição de conquistar o objetivo maior, que é estar entre os quatro ao final da competição. A gente tem uma comissão técnica que tá chegando extremamente motivada e acreditando no potencial do clube e dos atletas. Inclusive, o trabalho que vinha sendo feito pelo professor Hélio dos Anjos, que pra mim é uma referência, eu comecei a minha carreira no Vitória como treinador de base e Hélio já era o treinador principal do Vitória. Eu aprendi muito. A gente vai procurar ter o máximo de respeito e trabalhar como se a gente tivesse dando uma continuidade, porque o trabalho estava sendo muito bem feito e acreditamos nisso. 

CONTRATAÇÕES

– Em momento algum, quando conversei com a diretoria do Náutico, eu condicionei a minha contratação a chegada de atletas. Muito pelo contrário. A gente nem conversou sobre isso. Eu cheguei hoje ao Recife, tive uma reunião agora com o departamento de futebol e nós estamos fazendo uma análise. A partir do momento que eu entenda que existe uma necessidade, certeza que iremos buscar. Mas não existe nenhuma lista de contratação e nem houve nenhum condicionamento da minha vinda a essas contratações. Eu sou um profissional que já trabalha há algum tempo, principalmente na série B, modéstia a parte tenho um bom conhecimento de mercado e vou tentar ajudar o clube se entendermos que há a necessidade de contratar.

ELENCO

– Eu cheguei hoje pela manhã ao Recife e já tive uma reunião com o departamento de futebol e hoje vou dar o meu primeiro treino com os atletas. Todas as situações, em relação a essa de contratações principalmente, a gente vai analisar. Aquilo que a gente tem, analisar o que o mercado tá oferecendo e, com calma e tranquilidade, sem desespero, inclusive para não prejudicar o clube. Tudo vai ser feito alinhado com a diretoria e com o departamento de futebol. Em cima de uma análise minuciosa. Eu preciso conhecer os jogadores, conversar mais com a diretoria para que a gente possa tomar algumas decisões futuras. Caso haja necessidade, a gente tem um bom conhecimento de mercado e conversando com o departamento de futebol vamos tomar algumas decisões quanto a contratação de atletas.

DISPENSAS

– Não existe nenhum prazo para qualquer tipo de situação. Nem para contratação nem para liberação. São situações que fazem parte de um processo no futebol. A questão de análise em relação às posições e contratações passa pela análise do mercado. A avaliação de performance, treino e jogo tem que ser permanente. A gente vai tá o tempo todo analisando. As oportunidades que podem vir aparecer serão determinantes em algumas tomadas de decisões que serão definidas em conjunto com a diretoria. Tudo com o máximo de tranquilidade e coerência possível.

BRIGA PELO ACESSO

– Eu participei do primeiro turno no ano passado com o Cuiabá e na virada do turno tinha 36 pontos. A equipe teve uma oscilação de performance e em algum momento, de líder da competição, saímos do G4. Depois passou o momento de oscilação, a equipe se equilibrou dentro da competição, acabou a competição com 61 pontos e hoje está na Série A. Estou dando o exemplo de uma equipe que eu trabalhei, que começou bem, saiu do G4 e depois retornou, conseguindo o objetivo na 38º rodada. O objetivo final é na última rodada. Até lá temos que jogar o campeonato jogo a jogo. É uma competição extremamente equilibrada, não vejo nenhuma equipe em condição de abrir vantagem. Os jogos serão muito disputados. Tem muita gente que vai brigar por acesso. O Náutico precisa se preparar para as dificuldades que serão enormes. Nós, assim como várias equipes, principalmente as que vão brigar na primeira parte da tabela, vão brigar muito forte pelo acesso. Tem uma frase que uso com os jogadores, que é se preparar para o pior é estar preparado. Essa frase nem é minha, é de José Mourinho, mas acho muito interessante. O Náutico precisa se preparar para a maior dificuldade possível. Aí ele vai estar sempre muito bem preparado para todos os jogos.

BASE

– Se você pesquisar o meu histórico nos clubes em que passei, praticamente em todos, onde conseguimos ter uma continuidade de trabalho, eu sempre gostei de dar oportunidades a jogadores de base. Até porque sou oriundo da base. Trabalhei oito anos como formador nas divisões de base, inclusive aqui em Pernambuco, no Sport. Eu gosto muito de dar oportunidade e tenho um olhar interessante para o jovem. Em todas as equipes que tivemos continuidade no trabalho, nós conseguimos dar ao clube retorno de investimento, que é o principal papel de uma divisão de base. Por exemplo, agora no Botafogo, o clube fez dois bons negócios. Fez uma venda de Paulo Victor ao Internacional e fez uma uma negociação de Souza, zagueiro, para um clube europeu. No Ceará, eu passei e consegui ter um bom aproveitamento. No Fortaleza a gente aproveitou vários jogadores. No próprio Cuiabá a gente lançou alguns atletas. Eu gosto muito de trabalhar com atletas jovens. Ele precisa ter talento e o principal: comprometimento. Ele precisa ser ambicioso e ter personalidade para botar a camisa e jogar num time da grandeza do Náutico. A gente está atento. Vamos, sim, ter um olhar especial para esses jogadores e se eles tiverem qualidade e merecimento, iremos colocar sem sombra de dúvidas.

HÉLIO DOS ANJOS

– Hélio fez um excelente trabalho aqui no Náutico. Acompanhei todo o trabalho do Hélio, porque ano passado eu também estava na Série B com o Cuiabá, inclusive fui adversário. Joguei a primeira partida lá em Cuiabá. Hélio merece todos os méritos pelo trabalho que realizou. O professor Hélio dos Anjos é uma referência como treinador. Não só pra mim, mas para vários treinadores do futebol brasileiro. Inclusive é meu colega de licença CBF, o que mostra a dignidade e a forma como Hélio leva a sério e é estudioso. Eu vou começar a minha história no Náutico e eu tenho certeza que, para que a gente escreva uma história bonita para mim e para o clube, a gente precisa retomar o caminho das vitórias. Esse é, sem sombra de dúvidas, o meu maior trabalho hoje. Fazer com que os jogadores retomem a confiança, passem a melhorar a autoestima deles, fazer com que eles de fato possam começar, a partir do próximo jogo, reagir na competição. Dentro do cenário de retomada de reação, a gente vai buscar o objetivo maior. Eu passei por vários clubes e deixei alguns legados importantes. Deixei títulos, deixei acesso e fiquei marcado na história de alguns clubes que passei. E a minha intenção, quando vim trabalhar no Náutico, é aproveitar essa oportunidade e fazer história pelo Náutico, conseguindo o objetivo maior que é o acesso. Aí, com certeza, estarei com o meu nome marcado. Talvez eu não consiga chegar ao patamar que o professor Hélio chegou, pela sua capacidade e pela sua experiência, mas vou lutar e batalhar para fazer uma história bacana aqui. Até porque é isso que os torcedores estão esperando do profissional que o clube contratou.

Continue lendo
1 comentário

1 comentário

  1. Luan dos Santos

    20 de agosto de 2021 a 20:38

    Gostei dos comentários, bem lucidos!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending