conecte-se conosco
Aracaju recebe edição 2021 do Prêmio Brasil Aracaju recebe edição 2021 do Prêmio Brasil

Jogos OlímpicosOlimpíadasSEÚltimas

Prêmio Brasil será realizado no Nordeste pela primeira vez; Aracaju receberá evento

Foto: Camila Dantas/COB

Publicados

em

Pela primeira vez na história, desde a criação em 1999, o Prêmio Brasil Olímpico será realizado no Nordeste. A 22ª edição do evento será sediada em Aracaju e está marcada para o dia 7 de dezembro. O anúncio foi feito na última quarta-feira (1), em reunião entre o presidente do Comitê Olímpico do Brasil (COB), Paulo Wanderley Teixeira, o governador de Sergipe, Belivaldo Chagas, e a superintendente especial de Esportes do estado, Mariana Dantas.

“Nossa gestão busca descentralizar projetos para estar presente em todas as regiões do país. O Nordeste foi protagonista nos Jogos Olímpicos de Tóquio, tendo conquistado quatro das sete medalhas de ouro. Então, nada mais justo do que reconhecer o sucesso e o desempenho dos atletas trazendo para Aracaju a principal festa do esporte olímpico brasileiro”, disse Paulo Wanderley.

Vale lembrar que a região trouxe quatro medalhas de ouro em esportes individuais, conquistadas por Ítalo Ferreira (RN – Surfe), Ana Marcela Cunha (BA – Maratona aquática),  Isaquias Queiroz (BA – Canoagem velocidade – C-1 1000m) e Hebert Conceição (BA – Boxe). Além deles, foram duas pratas, com Rayssa Leal (MA – Skate street) e Beatriz Ferraira (BA – Boxe). Se fosse um país, o Nordeste teria ocupado o 16º lugar na classificação dos Jogos Olímpicos de Tóquio.

“É motivo de grande orgulho para Sergipe sediar o Prêmio Brasil Olímpico. Tenho certeza que os atletas se encantarão com Aracaju, e o evento será realizado seguindo os protocolos sanitários para garantirmos a segurança dos participantes. Acredito no esporte como ferramenta de transformação social e, no momento que homenageamos os nossos atletas olímpicos, treinadores e personalidades esportivas, incentivamos outros jovens a seguirem acreditando no esporte”, disse o governador Belivaldo Chagas.

Realizado há 22 anos, o Prêmio Brasil Olímpico não aconteceu em 2020 por conta da pandemia da covid-19. Neste ano, retoma, justo ao Nordeste, após um ciclo olímpico ampliado, mas que rendeu a melhor participação brasileira na história dos jogos. O baiano Isaquias Queiroz é, ao lado do ex-nadador Cesar Cielo, o recordista de prêmios na categoria “Atleta do Ano”, com três troféus conquistados. Ana Marcela Cunha tem dois prêmios e é a mulher nordestina mais vezes premiada nesta categoria: duas vezes.

Trending