conecte-se conosco

PESérie ASportÚltimas

Crescente do Sport na Série A coincide com entrada de jovens no time, que são destaques

Trio entrou no time, deu conta e ajuda Leão a ganhar fôlego na Série A

Foto: Anderson Stevens/ Sport Recife

Publicados

em

O Sport conseguiu uma inesperada e inédita crescente nos últimos jogos da Série A, onde engatou três vitórias consecutivas. Para além dos resultados, o time fez boas apresentações coletiva e individualmente, com destaque para três pratas da casa: Ewerthon, Gustavo e Mikael, cujas entradas na equipe titular ocorreram justamente no início desta série positiva.

LEIA: Everton Felipe revela que luta contra a depressão e recebe carinho da torcida do Sport
LEIA: Ataque do Sport melhora e marca 42% dos gols na Série A em sequência positiva

Diante do Grêmio, há pouco mais de uma semana, o Rubro-negro vivia um jejum de oito partidas sem balançar as redes e o técnico Gustavo Florentín precisou mandar a campo um time bastante modificado. No total, foram cinco mudanças, com espaço aberto para o trio de jovens da Ilha do Retiro. 

De lá para cá, os jogadores foram muito bem e têm demonstrado cada vez mais confiança com o passar das partidas. Nesta matéria, o NE45 contextualiza a inserção do lateral, do meia e do atacante no time, e ilustra o impacto positivo causado. Confira abaixo. 

Ewerthon 

A entrada de Ewerthon se deu por conta da suspensão de Hayner contra o tricolor gaúcho. Apesar da missão difícil – volta de lesão e não era titular há mais de quatro meses -, saiu-se muito bem ao conter Ferreirinha, uma das principais armas do Grêmio, indo bem na marcação e diminuição de espaços para o atacante adversário.

O lateral agradou a Gustavo Florentín, que o manteve contra o Juventude mesmo com Hayner disponível. E o prata da casa foi mais uma vez seguro, sério e sem comprometer – mais sólido que o antecessor vinha sendo.

Por fim, diante do Corinthians, repetiu o desempenho defensivo, desta vez com incumbência de marcar Roger Guedes, destaque individual da arrancada vivida pelo clube paulista – na partida, Ewerthon registrou seis desarmes e venceu sete duelos individuais de oito. 

Curiosamente, o lateral-direito tem o histórico de ser mais forte ofensivamente do que propriamente na defesa, uma vez que por várias vezes atuou como ponta na base. Nos três jogos, porém, apareceu pouco na frente até aqui.

Gustavo 

O meia ganhou mais espaço em meio à saída de Thiago Neves e entrou na equipe por conta da inaptidão de Paulinho Moccelin, que ficou fora do jogo contra o Grêmio por uma discussão com Florentín. 

Ali, Gustavo foi acionado aberto pelo lado direito no 4-1-4-1 promovido pelo técnico paraguaio, mas com liberdade para flutuar pelo meio e dialogar com Hernanes. Assim, o prata da casa se tornou peça fundamental. Além de boa movimentação e poder de criação, foi dele o gol que abriu a vitória contra o tricolor gaúcho. 

No duelo seguinte, diante do Juventude, novamente bom rendimento, buscando a todo instante o jogo no terço final, ainda que não tenha contribuído com participação direta em gol.

Por fim, diante do Corinthians, a melhor atuação. Sem Hernanes, foi utilizado por dentro, mas com liberdade para cair pelos lados e buscar o jogo mais recuado. Desta forma, desequilibrou, com tabela e finalização (como a que fez com Juba, logo no início); enfiada em boas condições por trás da zaga para Mikael, que exigiu boa defesa de Cássio; e caneta em Fábio Santos para avançar e chutar com perigo. Depois da partida, foi muito elogiado por Florentín. 

“Gustavo fez uma grande partida (contra o Corinthians). Cada vez mais ganhando confiança, especialmente com a bola foi desequilibrante, aproveitou os espaços, criou oportunidades de gols”, avaliou o treinador.

Mikael 

O centroavante foi alçado ao time titular após a saída de André – que não vinha bem mas seguia na equipe -, três dias antes do jogo em Porto Alegre. De cara, mostrou oportunismo, precisando de apenas uma chance para marcar contra Grêmio e Juventude, com inteligente movimentação para se desmarcar e ficar em condições de finalizar, com chutes fortes.

Diante do Corinthians, por sua vez, não balançou as redes, mas incomodou a defesa adversária e repetiu as boas movimentações ofensivas. Além disso, participou do gol marcado por Paulinho Moccelin ao fazer o pivô para Marcão, que serviu o atacante.

Na temporada, o prata da casa é o artilheiro rubro-negro, com dez gols, sendo três na Série A, onde é o goleador máximo do Leão – apesar de o Sport ser o pior ataque do campeonato, o setor vem demonstrando evolução nas últimas partidas.

Outros jovens 

Para além do trio, o Sport tem outros pratas da casa que ficaram em evidência na sequência positiva vivida atualmente pela equipe. No gol, Mailson segue sólido e seguro, fazendo ótima Série A e contribuindo para o Rubro-negro ser a terceira melhor defesa do campeonato.

Na zaga, Chico foi acionado no decorrer dos três jogos: contra Corinthians e Juventude para formar um trio no setor, enquanto frente ao Corinthians substituiu Thyere, lesionado.  E pode-se dizer que deu conta, apesar do pênalti cometido diante do time de Caxias do Sul, até porque balançou as redes nesse mesmo jogo. 

Por fim, Juba foi a principal novidade contra o Corinthians, utilizado como titular aberto pelo lado esquerdo, para fortalecer a marcação por ali e aproveitar as brechas dadas por Fagner. O jogador foi elogiado por Florentín, que destacou também a bola parada do lateral. 

Cenário do Sport

Depois das três vitórias, o Sport renovou fôlego na luta contra a zona de rebaixamento da Série A e subiu para o 18º lugar, com 26 pontos, dois abaixo do Santos, primeiro time fora da degola. Na sequência do campeonato, o Rubro-negro visita o Cuiabá, nesta quinta.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending