conecte-se conosco

BABahiaSérie AÚltimas

Guto inicia primeira semana livre com missão de achar substituto para Mugni no Bahia

Uma das opções, Rodriguinho recebeu elogios; veja alternativas

Fotos: Felipe Oliveira/ EC Bahia

Publicados

em

Após realizar três jogos em nove dias, o técnico Guto Ferreira inicia, a partir desta terça-feira, a primeira semana livre no comando do Bahia. Dentre os ajustes a serem feitos no período, o treinador terá uma missão: definir o substituto do meia Lucas Mugni, peça importante para o funcionamento do Tricolor, mas que está suspenso por três cartões amarelos.

Desde que esteve disponível para atuar, o argentino foi titular em todas as 13 partidas – com respaldo de Dado Cavancanti, Diego Dabove e, agora, do próprio Guto Ferreira, com quem já trabalhou no Sport, em 2020.

Em campo, Mugni possui uma assistência e ainda não marcou gols pelo Bahia, mas taticamente desempenha papel de ser o motor para fazer o time sair da defesa e chegar ao ataque com a bola, além de ser o líder de desarmes do time sem a posse (44 roubadas de bola, de acordo com o portal Sofascore).

Guto Ferreira não deu pistas sobre quem pensar para ser o substituto do argentino, mas, nesta matéria, o NE45 traz as principais opções que o elenco dispõe de olho no confronto diante da Chapecoense, que ocorre neste sábado, na Fonte Nova. Confira cada uma delas abaixo.

Rodriguinho

Em termos de característica, seria a peça que mais se assemelha com Mugni. Meio-campista e de criação, a diferença em relação ao argentino seria que o brasileiro contribui menos defensivamente, mas tem maior poder decisão.

Peça importante em outros momentos para o Esquadrão, vive fase irregular e vem sendo reserva nas últimas sete partidas. Em entrevista coletiva após o empate com o América-MG, Guto deu moral ao jogador pela atuação no estádio Independência.

 “É o cara que tem facilidade de visão de jogo. Que pode, em um lance, decidir. Teve pelo menos duas bolas. Ele jogou 15 minutos, não mais que isso, e duas bolas que foram no detalhe, num lance de superação do zagueiro que a bola não chegou no ponto de finalização de Rodallega, do Ronaldo. O torcedor já bateu muita palma para o Rodriguinho. Sabendo-se usar, vai ser importante, tem sido importante dentro do processo. Sem dizer o aspecto de liderança altamente positivo. O profissional sério e trabalhador que ele é”, analisou o treinador.

Rodallega

O colombiano é uma alternativa diferente em termos de estilo. Com ele, o Bahia passaria a atuar com dois centroavantes e ganharia força física e presença de área, mas perderia circulação de bola e maior organização ofensiva.

Inclusive, não seria novidade para o Esquadrão atuar com ele e Gilberto ao mesmo tempo, uma vez que Dabove já armou o time assim. No total, o colombiano tem dez jogos (quatro como titular) e cinco gols marcados pelo Bahia. Recentemente, entretanto, foi desfalque por duas partidas por questões pessoais.

Ronaldo

Assim como Rodallega, a opção por Ronaldo deixaria o Bahia mais agressivo na frente, mas a diferença é que o prata da casa tem mais mobilidade e seria utilizado aberto, com Raí Nascimento passando a jogar centralizado, mas com mais circulação de jogo. O Esquadrão seria um time mais agudo nesse aspecto.

Depois de voltar a atuar pelo time de transição, Ronaldo ganhou novamente espaço desde a chegada de Guto Ferreira, entrando no decorrer das três partidas sob o comando do treinador. No total, possui sete partidas pelo time profissional, mas ainda não marcou gol ou balançou as redes.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending