conecte-se conosco

BASérie BÚltimasVitória

Em jogo fraco, Vitória é mais perigoso, mas não sai do zero contra a Ponte Preta

Foto: PontePress/AlvaroJr

Publicados

em

O Vitória teve uma grande oportunidade de se aproximar da saída do Z4. Enfrentando a Ponte Preta, duas posições e cinco pontos à sua frente, o Leão da Barra teve as melhores entre as poucas chances do morno jogo que aconteceu no Moisés Lucarelli. Ainda assim, o jogo não foi além de um empate em 0 a 0 e, com isso, o clube segue na preso na zona de rebaixamento e pressionado por bons resultados.

Como fica?

Com o empate, os times seguem na parte de baixo da tabela, com alvinegros em 15º, com 38, e rubro-negros em 17º, com 33 – o time, porém, será ultrapassado ainda neste sábado, uma vez que qualquer resultado entre Confiança e Londrina termina com um dos clubes à frente dos leoninos.

O próximo jogo pontepretano será às 21h30 da terça-feira, visitando o Goiás, enquanto os soteropolitanos jogam às 16h do mesmo dia, recebendo o CSA no Barradão.

Primeiro tempo morno

Ao longo do primeiro tempo, Ponte Preta e Vitória fizeram um jogo de muita disputa no meio de campo. Em um futebol truncado, os times adotavam uma estratégia cautelosa, buscando fechar os espaços do adversário e evitar grandes riscos em seus jogos. Assim, o primeiro tempo foi morno, com poucas chances claras.

Quando a marcação era quebrada, porém, era o Leão que chegava melhor ao último terço. Conseguindo mais encaixe na marcação, o Rubro-Negro finalizava mais e melhor, enquanto anulava quase todas as peças ofensivas do time paulista, que só conseguiu finalizar com um jogador, o atacante Moisés, ao longo de toda a etapa. A melhor chance da etapa já veio nos minutos finais, quando Roberto recebeu entrando pela esquerda e batendo bem para grande defesa de Ivan.

Segundo tempo

Depois do intervalo, a Ponte voltou a campo mais organizada e conseguiu incomodar mais a defesa do Leão. Com isso, os mandantes aumentaram o controle da posse de bola e conseguiram ter um bom recorte no início da etapa final.

Na prática, porém, o jogo se tornou mais picotado, com muitas faltas e cartões. E, nesse novo ritmo pausado, que se aproveitou foi o Vitória, que reajustou sua defesa e passou a encaixar jogadas de velocidade para o ataque. Assim, novamente o time travou o meio de campo e passou a ser o mais perigoso em campo.

As melhores chances, porém, foram da Ponte, que conseguiu crescer nos minutos finais, com direito a uma cabeçada de Rodrigão forçar uma grande defesa de Lucas arcanjo aos 42. Apesar disso, as boas chances foram pontuais e o gol não saiu.

Ficha do jogo

Ponte Preta (0)
Ivan; Kevin, Fábio Sanches, Rayan (Ednei) e Rafael Santos; Marcos Júnior, Yago (André Luiz) e Matheus Anjos (Fessin); Richard (Iago), Moisés e Rodrigão. Técnico: Gilson Kleina.

Vitória (0)
Lucas Arcanjo; Raul Prata, Wallace Reis, Thalisson Kelven e Roberto (Soares); João Pedro, Eduardo (Fernando Neto) e Bruno Oliveira (Renan Luís); Fabinho, Marcinho (Caíque Souza) e David (Manoel). Técnico: Wagner Lopes.

Local do jogo: Moisés Lucarelli, em Campinas-SP
Árbitro: Denis da Silva Ribeiro Serafim (AL)
Assistentes: Esdras Mariano de Lima Albuquerque (AL) e Brigida Cirilo Ferreira (Fifa-AL)
Cartões amarelos: Yago, Moisés, Marcos Júnior, Iago (PON), João Pedro, Roberto, Fernando Neto, Marcinho e Bruno Oliveira (VIT)
Público total: 3.396 torcedores
Renda: R$ 46.910,00

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending