conecte-se conosco
Florentín_expulsão Florentín_expulsão

PESérie ASportÚltimas

Florentín pode pegar gancho de até seis jogos no Sport após xingar árbitro: ‘La p* madre’

Foto: Reprodução/SporTV

Publicados

em

Depois de ter viralizado na Internet ao comemorar o segundo gol do Sport na vitória sobre o Atlético-GO, junto com a torcida rubro-negra nas arquibancadas da Arena de Pernambuco, a reação do técnico Gustavo Florentín pode acarretar consequências negativas para o Leão nesta reta final de Série A.

Isso porque, na súmula do jogo, o árbitro Luiz Flávio de Oliveira relatou que o comandante leonino proferiu ofensas ao árbitro assistente Alex Ang Ribeiro e, logo em seguida, após o recebimento do cartão vermelho direto, o treinador passou a ofender o próprio árbitro, invadindo o gramado da Arena.

“Outro motivo (detalhar no campo expulsões) – Expulsei aos 6 minutos do segundo tempo de jogo com a aplicação do cartão vermelho direto o técnico da equipe do Sport Club do recife, o sr Gustavo Atilano F. Morinigo, por reclamar de forma ostensiva das decisões da equipe de arbitragem, dizendo as seguintes palavras em direção ao árbitro assistente 1, sr. Alex Ang Ribeiro, “la puta madre, la puta madre”, sendo que, após ser apresentado o cartão vermelho, invadiu o campo de jogo, dizendo as seguintes palavras a mim “filho de puta, filho de puta”, tendo que ser contido por membros de sua comissão técnica para deixar o campo de jogo”.

Foto: Reprodução/Internet

Seguindo as regras do artigo 258 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, que menciona “assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva”, o técnico do Sport pode pegar um gancho de até seis jogos na Série A – a destacar que já no próximo sábado, diante do Fluminense, do Maracanã, Gustavo Florentín cumprirá suspensão automática.

Art. 258. Assumir qualquer conduta contrária à disciplina ou à ética desportiva não tipificada pelas demais regras deste Código. (Redação dada pela Resolução CNE nº 29 de 2009).

PENA: suspensão de uma a seis partidas, provas ou equivalentes, se praticada por atleta, mesmo se suplente, treinador, médico ou membro da comissão técnica, e suspensão pelo prazo de quinze a cento e oitenta dias, se praticada por qualquer outra pessoa natural submetida a este Código.


Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending