conecte-se conosco

BASérie BÚltimasVitória

Técnico projeta jogo difícil contra o Vasco e importância matemática do resultado

Foto: Pietro Carpi/EC Vitória

Publicados

em

Em situação complicada na Série B na luta contra o rebaixamento, o Vitória tem uma verdadeira decisão contra o Vasco, nesta quarta-feira (10), às 21h30, em São Januário. Uma partida que tende a ser difícil, na visão do técnico Wagner Lopes, embora o adversário tenha poucas chances de acesso. Enquanto pelo lado rubro-negro a necessidade é pelos três pontos.

“Eu projeto um jogo difícil. O Vasco, na maior parte do tempo, vai ter a bola. A gente vai ter que saber fechar os espaços, contra-atacar e explorar as transições ofensivas. Não vamos para lá apenas para marcar. Vamos para jogar também. Ter ousadia com responsabilidade”, ressaltou o treinador.

O Vitória está no 19º lugar com 34 pontos e não tem chances de sair do Z4 nesta rodada. Porém, pode diminuir a desvantagem que hoje é de quatro pontos. Para isso, além de vencer, precisa torcer contra Londrina e Brusque. E toda esta matemática está incluída também na preparação do jogo contra o Vasco. 

“Esse jogo é importante, que a gente precisa vencer para elevar as chances de permanência na Série B. Para não levar os números para um lugar que a gente não consiga mais alcançar. Matematicamente, é um jogo muito importante e que a gente precisa vencer. Mas depende dos outros resultados. Se a tabela continuar sempre com os mesmos números, vai se prorrogando essa matemática. A gente espera um bom resultado. Mas, se todo mundo não vencer, continua da mesma maneira”, completou o treinador.

Para esta partida, Wagner Lopes não confirmou a equipe. Mas ressaltou a manutenção da base das últimas rodadas em que o time teve uma evolução no rendimento e chegou a ter três triunfos seguidos na temporada. Apesar da oscilação na sequência que resultou em dois empates e uma derrota na Série B.

“Há oito, nove ou dez rodadas atrás, o rendimento dos atletas não era esse rendimento que eles passaram a ter. Como a gente trabalha com desenvolvimento de processos, esses mesmos jogadores não estavam conseguindo o rendimento de agora. O David já vinha treinando de referência há muito tempo. A gente já vinha utilizando como falso 9, só que as coisas vão encaixando, os treinos de finalizações, táticos. Tudo isso corrobora para que você encontre soluções dentro de mudanças que aconteceram na tabela, no nosso elenco. A maré mudou, os jogadores estão mais confiantes. Isso tudo tem que ser levado em consideração”, pontuou.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending