conecte-se conosco
Juan Pablo Vojvoda, técnico do Fortaleza Juan Pablo Vojvoda, técnico do Fortaleza

CEFortalezaSérie AÚltimas

Vojvoda admite mau jogo do Fortaleza e não relaciona queda técnica à ausência de Crispim

Foto: Karim Georges/Fortaleza EC

Publicados

em

A má atuação do Fortaleza diante do Red Bull Bragantino resultou numa derrota por 3 a 0 fora de casa, onde o placar ainda poderia ter sido mais elástico para o time de Bragança Paulista. Com um jogo abaixo do esperado, onde praticamente nada deu certo para o Leão do Pici, o técnico Juan Pablo Vojvoda assumiu a responsabilidade pelo desempenho, além de se mostrar confiante numa volta por cima para dar fim ao jejum de cinco jogos sem vencer.

“Eu sou o responsável também pelos momentos ruins da equipe. Eu sou quem comanda esse time e estou seguro que teremos força para recuperar esse mau momento. Mas também sou o maior responsável para seguir trabalhando, seguir confiando e transmitindo a cada um dos torcedores do Fortaleza que esse time tem o compromisso desde o primeiro dia. E nesses momentos, vamos seguir tendo compromisso. Sempre temos demonstrado atitude e nesse momento vamos seguir demonstrando”, afirmou o comandante argentino.

O treinador também foi perguntado sobre a ausência do meia e ala Lucas Crispim no time do Fortaleza. Desde que se lesionou contra o Athletico Paranaense, no dia 23 de outubro, o Tricolor não sabe mais o que é vencer. São quatro derrotas (sendo uma delas pela semifinal da Copa do Brasil) e um empate, e uma queda no repertório ofensivo da equipe. Vojvoda preferiu não atribuir à essa ausência a queda de rendimento do time e disse que qualquer atleta faria falta no Leão.

“O Fortaleza sente ausência de todos os jogadores, de cada um deles. Como é um time, é composto de um elenco de 26, 27, até 30 jogadores, e em determinado momento pode estar um ou outro dentro do campo de jogo. Não quero focar minha atenção em jogadores que não posso ter disponível no jogo. Seria muito fácil para mim dizer ‘ah não tenho Crispim’, ou outro jogador. Isso é parte do jogo. Eu tenho que resolver problemas, situações que acontecem. Não tenho que olhar para o que não está disponível”, concluiu.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending