conecte-se conosco

CEFortalezaSérie AÚltimas

Paz admite fase ruim, revela cobranças e nega problemas internos no Fortaleza

Presidente avaliou o momento do Leão, que vive pior fase na Série A

Foto: Divulgação/ FEC

Publicados

em

O Fortaleza passa por um momento crítico na reta final da temporada. Nos últimos cinco jogos, conquistou apenas um ponto e sofreu uma dura goleada por 4 a 0 para o maior rival Ceará. Diante disso, o presidente do clube, Marcelo Paz, convocou uma entrevista coletiva e avaliou a fase vivida atualmente pelo Leão do Pici.

Em quase 30 minutos, o mandatário do Tricolor reconheceu o momento ruim vivido pelo Fortaleza, revelou cobranças e refutou problemas internos, como atrasos financeiros.

“Venho pedir desculpas ao torcedor por este momento, pelas derrotas, não só a do clássico, já são alguns jogos que temos uma performance abaixo. Temos que ter a humildade de reconhecer e pedir desculpas. O torcedor tem feito o seu papel e precisamos retribuir. Todos temos uma parcela de culpa e precisamos refazer essa rota e terminar o ano bem”, iniciou.

“Tivemos uma conversa muito verdadeira e franca, com cobrança dos dois lados e o compromisso para retornarmos às vitórias. Futebol existe cobrança, não estamos satisfeitos com o que vem acontecendo nas últimas rodadas, mas dependemos apenas das nossas forças para conquistar um objetivo grandioso”, ressaltou Marcelo Paz.

O Leão do Pici briga entre os primeiros colocados desde o início do Brasileirão, mas vive o maior jejum no campeonato e atualmente é o sexto lugar, com 49 pontos, dois acima do sétimo colocado Internacional. O presidente negou que haja problemas além de uma crise técnica vivida dentro das quatro linhas.

“Nada justifica a apatia nos últimos jogos, nem mesmo desfalques ou cansaço. Todos os clubes lidam com isso. Estamos vivendo uma crise técnica. Quando começa a perder, surgem mil teorias, mas não tem nada disso. Não tem nada disso. Premiações e salários estão em dia, tem um ou outro problema, mas é natural, em um grupo de 30 pessoas, existir divergências. É até bom que haja cobrança, o ruim é quando tem uma apatia total como aconteceu no clássico. Temos que falar pouco e jogar muito. Microfone não vai resolver a nossa vida”, finalizou.

O Fortaleza volta a campo diante do Palmeiras, neste sábado, no Castelão.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending