conecte-se conosco

ConfiançaSESérie BÚltimas

Confiança: Árbitro relata agressão em súmula e Neto Berola pode pegar suspensão de 180 dias

Reprodução/SporTV

Publicados

em

O jogo entre Confiança e Ponte Preta, na tarde deste sábado, decretou o rebaixamento do Dragão à Série C em 2022.Um lance na reta final do jogo, porém, tirou um pouco da atenção do jogo. Aos 39 minutos, o atacante Neto Berola, do Dragão, foi expulso por reclamação e, depois, chutou o pé do árbitro Wilton Pereira Sampaio, agressão que foi relatada na súmula do jogo. Com isso, o jogador pode pegar uma suspensão de 180 dias.

A cena lamentável aconteceu já quando o time perdia por 1 a 0 e se aproximava da confirmação da queda. Depois do vermelho, o jogador se exaltou e tentou ir em direção ao árbitro, mas foi contido por jogadores das duas equipes.

Segundo o relato de Wilton Pereira Sampaio na súmula do jogo, um cartão amarelo foi concedido porque Neto Berola desaprovou “com palavras ou gestos as decisões da arbitragem”. Ou seja, ele foi advertido por reclamação.

Logo na sequência daquele cartão, Berola seguiu exaltado e recebeu um cartão vermelho direto por “após receber o cartão amarelo, dirigir-se a mim (Wilton) e proferir as seguintes palavras: ‘você veio aqui pra nos roubar, estamos cansados de sermos roubados aqui”, relatou o árbitro.

Ele continua, relatando o clima que se criou após a expulsão. “Informo ainda que, após a apresentação do cartão vermelho, enquanto eu estava de costas, o referido atleta me agrediu com um pontapé, atingindo meu pé direito. Em ato contínuo, veio em minha direção ainda exaltado, precisando ser contido e retirado do campo de jogo por atletas de ambas as equipes”.

Com isso, Neto Berola não será opção do Confiança para o jogo final da Série B, às 16h do domingo, visitando o Clube do Remo. Além disso, o jogador pode pegar um gancho muito maior, a depender de um provável julgamento no STJD.

De acordo com o Artigo 245-A § 3º do Código Brasileiro de Justiça Desportiva, uma agressão contra o árbitro pode resultar em uma suspensão mínima de 180 dias.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending