conecte-se conosco
Tatiana Roma chefiou a Diretoria da Mulher no Náutico Tatiana Roma chefiou a Diretoria da Mulher no Náutico

NáuticoPEÚltimas

Náutico admite ter recebido denúncia de assédio contra ex-diretora, cita acordo e acusado pede afastamento

Publicados

em

Após seis horas desde a publicação do caso pela Internet, o Náutico enfim se pronunciou oficialmente sobre a denúncia movida pela ex-diretora Tatiana Roma, que acusou um funcionário do departamento financeiro do clube de importunação sexual, injúria, calúnia e difamação.

Na nota, o Timbu reconheceu que tomou conhecimento do caso e, logo após isso, o setor jurídico orientou o clube a dialogar com o ofensor e a ofendida, cujo entendimento, a posteriori, foi assim selado via acordo extrajudicial.

Para além da nota, o Náutico também comunicou o pedido de afastamento do funcionário enquanto o assunto está sendo tratado na esfera jurídica.

“Sob orientação do setor jurídico, à época em que o assunto veio ao conhecimento da gestão, foi indicado que haveria um diálogo entre as partes, e que veio a se confirmar com a posterior celebração de um acordo, o que representava, naquele momento, um entendimento. Se, de fato, há desdobramentos recentes, inexistentes no período citado, será envidada uma apuração detalhada do ocorrido, para eventuais novas deliberações”, disse.

“Todas as medidas que se fizerem necessárias serão adotadas para que não restem dúvidas sobre os fatos e efetiva ação, no caso de outras medidas administrativas cabíveis. Ficam reiterados aqui os princípios sempre praticados pela gestão, de combate a todas as formas de desrespeito, preconceito ou intolerância, de qualquer ordem”, completou.

Entenda o caso

Nos relatos publicados em seu perfil oficial do Twitter, Tatiana descreveu que os episódios de assédio começaram em maio de 2020, indo até julho deste ano, acrescentando que outras funcionárias do Náutico também passaram por situações semelhantes às dela, e realizadas pela mesma pessoa.

Além disso, de acordo com a ex-dirigente, funcionária do clube há basicamente três anos, quando coordenou a Diretoria da Mulher, e a posteriori também atuando como Diretora de Operações de Jogo, o Conselho Deliberativo do Náutico foi informado do caso. O processo, contudo, acabou engavetado pelo órgão. Inclusive, em uma das mensagens compartilhadas nas redes, Tatiana afirmou que Alexandre Carneiro, presidente do CD alvirrubro, havia lhe pedido para deixar a denúncia para 2022 e que ela “pensasse no clube”.

Caso que, na verdade, ao invés de solucionado de modo contumaz, imediato, acabou tomando novos rumos. E mais uma vez bastante negativos. O acusado, junto a um membro de uma uniformizada do Náutico, tentou acusar a ex-diretora de racismo, inclusive com ameaças feitas por ele dentro do estádio dos Aflitos em dois jogos em que Tatiana esteve trabalhando.

Assim, vendo a escalada da situação, Roma disse ter levado os relatos ao presidente do Timbu, Edno Melo, no início de julho. O mandatário, porém, propôs um acordo para que Tatiana retirasse o processo, com o funcionário denunciado seguindo suas atribuições até o final da gestão, que acaba em dezembro deste ano, e depois doando cestas básicas para uma instituição de caridade. Porém, como o acordo não prosseguiu da forma combinada com a outra parte, ela retomou com o processo pelo afastamento do funcionário.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending