conecte-se conosco

BABahiaSérie AÚltimas

Com gol aos 48 do 2º tempo, Bahia perde para o Atlético-GO e pode voltar ao Z4

Divulgação/EC Bahia

Publicados

em

Não foi agora que o Bahia encerrou a sequência de dois meses sem vitórias fora de casa. Contra o Atlético-GO, no Antonio Accioly, o Tricolor de Aço saiu atrás, com gol de Marlon Freitas, de pênalti, buscou o empate com Hugo Rodallega, mas, já nos acréscimos, sofreu mais um gol, com Janderson, selando a derrota por 2 a 1. Com isso, o time pode voltar à zona de rebaixamento já nesta terça-feira.

Em campo, depois de um primeiro tempo de jogo muito morno, as equipes se encontraram melhor na segunda etapa, tendo um jogo mais aberto e melhores oportunidades, com os três gols saindo na etapa final. Ainda assim, a partida ficou devendo na qualidade, com um excesso de erros por parte do Tricolor, além de finalizações ruins e muita dificuldade para aplicar intensidade ofensiva. Depois do último gol, inclusive, Juninho Capixaba foi expulso, o que o tira do próximo jogo.

Como fica?

Com a vitória, o Atlético chega a 44 pontos, na 13ª posição, bem mais seguro quanto a rebaixamento. O Bahia, por sua vez, segue estagnado em 16º, com 40 pontos o mesmo total do Juventude, primeiro time no Z4, que ainda não jogou nesta rodada e pode colocar o Esquadrão na zona de rebaixamento ainda nesta terça-feira, caso o Ju vença o Red Bull Bragantino.

Agora, o Bahia volta a campo às 18h da quinta-feira, recebendo o Atlético-MG, que pode garantir o título do Brasileirão neste jogo. Para o Atlético, o próximo jogo é na sexta-feira, às 20h, visitando a lanterna, Chapecoense.

Jogo morno

Ao longo do primeiro tempo, Bahia e Atlético-GO fizeram um jogo de disputa na faixa central de campo e pouca criação efetiva de jogadas, o que fez com a que a etapa fosse finalizada com apenas uma finalização certa – dos goianos, parando em boa defesa rasteira de Danilo Fernandes.

Com equilíbrio na posse de bola, o Dragão tentava impor um jogo de contra-ataques, mas via um Tricolor bem armado na marcação para controlar essa velocidade e deixar o jogo dos rubro-negros sem intensidade.

O Esquadrão até tentava exercer um domínio ofensivo do jogo e conseguia ter mais tempo de ataque, mas, letárgico, não conseguia encontrar sua criatividade para levar perigo.

Bahia e Atlético acordam

Tudo que não aconteceu no primeiro tempo já foi visto aos 24 segundos do segundo, com o Atlético disparando em jogada de velocidade pela direita e finalizar. Era o primeiro sinal de uma melhora goianiense, conseguindo encontrar mais espaço para aplicar a sua intensidade e conseguir pisar na área.

Nisso, a defesa do Bahia também ficava mais exposta às falhas e, aos 11, Gustavo Henrique saiu jogando errado e Lucas Mugni acabou derrubando Janderson na área. Pênalti. Marlon Freitas, aos 13, bateu rasteiro, no cantinho, sem chances para Danilo Fernandes.

Atrás do placar, o Esquadrão tentou partir para o ataque, enquanto o Atlético, confortável, abaixava o ritmo e gastava tempo. Foi melhor para o Bahia, que, aos 25, uma bola rebatida na área sobrar para Rodallega bater rasteiro e igualar tudo.

A partir do empate, o jogo ficou aberto, com um Bahia ofensivo, tentando pressionar à frente da última linha atleticana, mas cedendo espaços para bons contra-ataques do Dragão. Ainda assim, mesmo com dois times trabalhando na intensidade ofensiva, as chances de gol foram raras – e a única clara, já aos 48 minutos, terminou em gol.

Ali, Janderson recebeu pela direita, entrou na área e bateu cruzado, alto, para estufar as redes de Danilo Fernandes, garantindo a vitória no penúltimo minuto do jogo. Ainda deu tempo para Juninho Capixaba cometer uma falta na defesa, receber o segundo amarelo e ser expulso, desfalcando o Bahia no próximo jogo.

Ficha do jogo

Atlético Goianiense (2)
Fernando Miguel; Dudu, Éder Ferreira, Pedro Henrique e Arthur Henrique; Willian Maranhão (Lucão), Marlon Freitas e João Paulo (Rickson); André Luís (Ronald/Brian Montenegro), Janderson e Zé Roberto (Gabriel Baralhas). Técnico: Marcelo Cabo.

Bahia (1)
Danilo Fernandes; Nino Paraíba, Germán Conti, Gustavo Henrique e Matheus Bahia; Lucas Mugni (Rossi), Patrick de Lucca e Rodriguinho (Danielzinho); Raí Nascimento (Ronaldo César), Juninho Capixaba e Gilberto (Hugo Rodallega). Técnico: Guto Ferreira.

Local do jogo: Estádio Antonio Accioly, em Goiânia-GO
Árbitro: Ramon Abatti Abel (SC)
Assistentes: Kleber Lucio Gil (Fifa-SC) e Alex dos Santos (SC)
Gols: Marlon Freitas (13’/2ºT | ACG), Hugo Rodallega (25’/2ºT | BAH), Janderson (48’/2ºT | ACG)
Cartão vermelho: Juninho Capixaba (BAH)
Cartões amarelos: Éder Ferreira, Marlon Freitas, Gabriel Baralhas, Janderson (ACG), Lucas Mugni e Patrick de Paula (BAH)

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending