conecte-se conosco
Paulo Carneiro, presidente do Vitória Paulo Carneiro, presidente do Vitória

BASérie BÚltimasVitória

Afastado, Presidente do Vitória se exime de culpa de rebaixamento

Foto: Maurício da Matta/Vitória

Publicados

em

Sem exercer as funções de presidente desde o dia 2 de setembro e com afastamento garantido até o final de dezembro, Paulo Carneiro não acredita que tem culpa da campanha que levou o Vitória a ser rebaixado para a Série C, pela segunda vez em sua história. Anteriormente, o clube havia caído para a Terceira Divisão, em 2005, quando o cartola também comandava o Leão.

Segundo o dirigente, em entrevista ao GE, ele não se enxerga como culpado pelo fracasso do clube na luta pela permanência. Carneiro ainda aproveitou para questionar quem receberia os elogios caso o Leão da Barra conseguisse sucesso na árdua missão de se manter na Série B.

“Eu não gosto desse termo ‘culpa’, principalmente num jogo que eu não bato escanteio, não bato tiro de meta”, justificou. “Se o Vitória não cai, a quem caberiam os louros disso? A mim? Só sobrou para mim agora o ônus do rebaixamento? Onde não tenho mais envolvimento na gestão? O nome disso é outra coisa”, ressaltou o cartola.

Carneiro também pontuou que acredita ter sofrido um golpe quando foi retirado da presidência do clube sob alegações de ausências de contrato com a empresa Magnum, que recebeu cerca de R$ 3,5 milhões do clube, além do adiantamento de remunerações, quando era presidente do Conselho Diretor do Rubro-negro baiano.

“Eu fui eleito democraticamente, pelo voto. Se tentaram me tirar, é golpe. Eu não fui colocado lá de qualquer jeito. Estão desrespeitando o voto do torcedor. Essa ação golpista envolve o conselho do clube. Eles querem provar uma gestão temerária contra mim. É bom explicar para o torcedor. Não há nada contra mim de desvios de recursos”, apontou.

Atualmente, com o afastamento de Carneiro e o pedido de licença do vice-presidente, Luiz Henrique Vianna, o Vitória tem sido presidido internamente, no executivo, pelo presidente do Conselho Deliberativo, Fábio Mota.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending