conecte-se conosco

Copa do NordesteEstaduaisJoão de Andrade NetoNáuticoPESanta Cruz

Náutico ultrapassa Santa no ranking da CBF e clubes sentirão reflexos no Nordestão 2022

Foto: Caio Falcão/CNC

Publicados

em

A CBF deverá publicar a atualização do seu ranking nacional de clubes e federações logo após a finalíssima da Copa do Brasil, entre Palmeiras e Grêmio, no dia 7 de março, o que marcará, finalmente, o encerramento oficial do calendário de 2020. E a nova lista trará uma ótima notícia para o Náutico e um péssima para o Santa Cruz. Isso porque, segundo levantamento feito pelo estatístico e analista do NE45, Thiago Minhoca, o novo ranking já virá com os alvirrubros à frente dos tricolores. O que trará consequência importantes para os dois clubes visando a Copa do Brasil e sobretudo a Copa do Nordeste de 2022.

De acordo com o levantamento feito por Minhoca, o Náutico aparecerá com 3.662 pontos após a atualização, contra 3.538 do Santa Cruz, deixando o Timbu como o segundo clube mais bem ranqueado de Pernambuco, atrás apenas do Sport. Algo que terá reflexos já no Nordestão do próximo ano, quando o estado passará a ter direito a apenas duas vagas na competição (ambas direto na fase de grupos) por ter sido ultrapassado pelo Ceará no ranking das federações. Uma concedida ao campeão pernambucano e outra ao clube do estado melhor posicionado na CBF.

Dessa forma, automaticamente uma das vagas de Pernambuco na Copa do Nordeste sempre ficará com o Sport, seja como campeão ou como clube mais bem colocado no ranking. Sobrando, portanto, apenas mais um classificado. E é aqui que a ultrapassagem do Náutico fará toda a diferença, uma vez que, caso não conquiste o título estadual este ano, o Timbu só ficará fora do Regional em 2022 se o Santa Cruz, ou qualquer outro clube do interior, levantar a taça. Isso porque, na hipótese do Sport ser o campeão, a vaga destinada ao melhor ranqueado pernambucano passa a ser do Náutico.

Em outras palavras, e aqui entra a péssima notícia para os tricolores, o Santa Cruz só estará na Copa do Nordeste de 2022 caso levante o seu 30º título pernambucano. Regra que vale também para Salgueiro (bicampeonato), Central, Retrô, Vera Cruz, Afogados, Sete de Setembro e Vitória, na hipótese de uma conquista inédita. Em caso de vice, para qualquer um desses clubes, Náutico e Sport serão os representantes de Pernambuco.

Como se deu essa ultrapassagem?

O Náutico começou a tirar a diferença para o Santa Cruz no ranking da CBF em 2018, quando os dois times disputaram a Série C e foram eliminados juntos nas quartas de final. Porém, nesse ano, o Timbu chegou a quarta fase da Copa do Brasil, enquanto os corais caíram na primeira fase. No ano seguinte, com o título da Série C, os alvirrubros voltaram a somar mais pontos.

Porém a maior diferença veio, de fato, na temporada 2020, quando o Náutico somou 1285 pontos contra apenas 815 do Santa Cruz. E aqui já entra a diferença nas divisões. Para se ter uma ideia, apenas pela 16º posição na Série B, o Timbu fez 232 pontos, contra 138 do Tricolor, que acabou em 5º lugar na Série C. 

Isso significa que, com a manutenção dos dois times nas respectivas divisões em 2021, a tendência será o Náutico abrir ainda mais a diferença para o rival no ranking da CBF. A chance de um encurtamento da distância pelo Santa Cruz será apenas via Copa do Brasil, competição em que os alvirrubros não irão disputar na atual temporada (assim como a Copa do Nordeste). Porém será necessário uma boa campanha coral.

E como fica a Copa do Brasil?

Por sinal, por conta da atualização do ranking, a vaga do Santa Cruz na Copa do Brasil de 2021 só foi possível graças ao Campeonato Pernambucano, que distribui vagas para o campeão (Salgueiro) e vice (Santa), além do melhor time na primeira fase, a exceção dos finalistas (Retrô). O Sport entra na competição herdando uma das 10 vagas distribuídas pela CBF pelo seu ranking, e aqui independentemente de federações. 

Justamente por não alcançar essa marca, o Náutico ficou fora do torneio. Algo que, naturalmente, também atingiria o Santa a partir da atualização do ranking. Risco que pode se repetir para a Copa do Brasil 2022.

Trending