conecte-se conosco

AnalistasJuliana Lisboa

Feliz dia pra quem?

O que realmente muda para as mulheres com as postagens dos clubes no dia 8 de março?

Foto: Thais Magalhães/CBF

Publicados

em

Esse era pra ser um texto massa, super pra cima, falando do quanto que as mullheres avançaram no esporte e como a gente está chegando mais longe. No campo, na arquibancada, nos clubes, na imprensa, etc. Juro que era.

Mas peço licença pra fazer um desabafo: neste 8 de março, especificamente, me bateu uma preguiça imensa do Dia Internacional da Mulher. Em especial no mundo do esporte. Ainda mais no microcosmo futebol. Porque as publicações de textos, vídeos, campanhas para valorização da mulher que circulam nas redes sociais dos clubes, atletas, influencers, etc estão cada vez mais cansativas. Até porque esses votos têm prazo de validade, e bem definido: 24h.

Não fosse assim os clubes teriam mais mulheres nos quadros de funcionários. Teriam banheiros femininos nas cabines de imprensa. Atentariam para minimizar casos de assédio nos estádios. Nem cogitariam a contratação de jogadores com histórico de agressão à mulher – as próprias marcas patrocinadoras seriam contrárias.

Veriam a profissionalização do futebol feminino como algo básico. As federações levariam a sério os torneios femininos, atentariam para datas e horários das partidas para não comprometer o rendimento das atletas.

Mas o esporte resiste à presença feminina. As postagens bem intencionadas valem até a página 2, ou até dia 9 de março. Clube não é ONG, torcida xinga mesmo, estádio é lugar pra quem aguenta, futebol é mercado, tem que dar retorno em campo, receita, lucro. A gente sabe. E a gente vai fazendo frente até porque nosso dinheiro não vale menos, nosso suor não vale menos, nosso conhecimento, nossa paixão, nada disso vale menos. E é chato ficar o tempo todo cobrando coisas que parecem óbvias, mas aqui estamos. Diferentemente dos textos bonitinhos, estaremos aqui amanhã. E depois.

Continue lendo
1 comentário

1 comentário

  1. Leandro Rocha

    8 de março de 2021 a 19:14

    Que texto maravilhoso, Juliana! Parabéns! Eu não sei e não tenho mais o que dizer, apenas parabenizar.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending