conecte-se conosco

AnalistasBABahiaJuliana Lisboa

Bahia é rebaixado e estado não terá representantes na elite do Feminino pela primeira vez

Bahia cai com uma rodada de antecedência; Vitória e Juventude não têm chances de acesso

Foto: Felipe Oliveira (EC Bahia)

Publicados

em

A derrota por 4 a 0 para o Cruzeiro confirmou o que já vinha se desenhando há alguns meses: o time feminino do Bahia, que tanto comemorou o acesso à elite neste ano, foi rebaixado para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro – com uma rodada de antecedência. O tricolor, que é o único representante nordestino na Série A1, ocupa a lanterna da competição com apenas quatro pontos somados e nenhuma vitória.

Como Juventude e Vitória, equipes baianas que disputam a Série A2, não se classificaram às oitavas de final, em 2022 a Bahia não terá representantes na elite do futebol feminino pela primeira vez.

De 2013 a 2016, quando o Brasileirão Feminino tinha apenas uma divisão, São Francisco, Bahia e Vitória participaram (nem sempre juntos). De 2017 em diante, quando o Campeonato Brasileiro Feminino ganhou duas divisões, tivemos ao menos São Francisco, Vitória ou Bahia em todas as edições.

Bahia comemorou o acesso no início deste ano ao vencer o Fortaleza nas oitavas de final (Foto: Felipe Oliveira)

E mais: este é o terceiro ano seguido que times nordestinos são rebaixados. E pode ser o terceiro ano seguido com um time nordestino caindo na lanterna.

Para isso não acontecer, o Bahia precisa vencer o São Paulo na útima partida e torcer para que o Napoli perca seu jogo. O clube anunciou neste domingo (20/6) que está entrando com um processo de reformulação da equipe feminina.

Em 2019, o Sport foi rebaixado na última posição, acumulando goleadas e vencendo apenas uma partida (a última, contra o Iranduba, por 3×1, quando não tinha mais chances de permanência), ano em que o Vitória de Santo Antão e São Francisco também desceram para a segunda divisão.

Em 2020 foi a vez do Vitória cair na lanterna, e com campanha ainda pior: zero pontos somados. Vale lembrar que a base da equipe que jogou o campeonato foi a que disputou o Brasileiro Sub-16 naquele mesmo ano.

De todos os times classificados para as oitavas da Série A2 do Brasileiro Feminino, UDA-AL, Botafogo-PB, Ceará e Fortaleza brigam pelo acesso. Os semifinalistas garantem vaga para a Série A1, portanto, com o duelo entre Botafogo-PB e Ceará nas oitavas, três equipes nordestinas podem brigar pelo acesso

Trending