conecte-se conosco

NáuticoPESérie BÚltimas

Árbitro explica expulsão de Iago Dias, do Náutico; Chamusca retruca: “se ofende fácil”

Publicados

em

O jogo entre Náutico e Guarani teve um momento polêmico. Aos 41 minutos, o atacante alvirrubro Iago Dias recebeu um vermelho direto após reclamar com a arbitragem em um lance que gerou estranhamento e confusão. Na súmula, o árbitro Rafael Traci explicou o lance, dizendo que se sentiu ofendido por uma frase proferida pelo atleta, mesma justificativa para a expulsão de um preparador do Guarani no intervalo.

Assim, criticando as decisões, o treinador do Náutico, Marcelo Chamusca, criticou tacitamente o árbitro, afirmando que ele “se ofende fácil” e “se acha o dono do espetáculo”.

Na súmula do jogo, publicada duas horas após o fim do jogo, Rafael Traci justificou a expulsão de Iago Dias: “Expulsei o atleta sr. Iago Angelo Dias, número 93, da equipe Náutico aos 41 minutos do primeiro tempo, por, após reclamar de uma suposta falta proferiu as seguintes palavras em minha direção: “marca falta, vai tomar no **”, de forma acintosa. Me senti ofendido com as palavras. Expulso de forma direta”.

Da mesma forma, foi justificada a expulsão do preparador de goleiros do Guarani, Silvano Silva, que recebeu o vermelho logo no intervalo do jogo. “Após terminar o primeiro tempo, o sr. Silvano de Morais Silva, treinador de goleiros da equipe do Guarani, indo para seu vestiário, virou em direção ao banco de suplentes do Náutico e proferiu as seguintes palavras: “vai tomar no **”, com dedo em riste e de forma acintosa, sendo contido pelos seus atletas. Esta situação foi presenciada pelo assistente 2, Henrique Neu Ribeiro. Expulso de forma direta”.

Essa situação foi comentada pelo treinador Marcelo Chamusca, que afirmou ter conversado com Iago Dias e com outros atletas sobre o ocorrido. Nisso, em sua análise, Chamusca descreveu Traci como “rigoroso” e afirmou não ter entendido a atitude.

“Conversei, sim, com o atleta. Inclusive, também, com vários que estavam no campo de jogo. Como a gente fica no banco de reservas e o lance foi do lado contrário, talvez, se fosse mais próximo, nem precisasse ter conversado com ele. Pelos relatos, acho que o árbitro foi muito rigoroso. Não sei por que ele teve essa atitude”, comentou Chamusca.

Na visão do treinador, o comentário do jogador sequer era direcionado ao árbitro, o que tornaria a expulsão incompreensível em sua visão. Dessa forma, em tom crítico, Chamusca afirmou que isso não é suficiente para expulsão.

“Até porque a reclamação do atleta não foi direcionada para o árbitro. Não chegou para ele e xingou. Foi um lance de dividida, que o adversário pegou nele e Iago xingou. Em nenhum momento, ele se dirigiu ao árbitro. E mesmo se tivesse, o que mais acontece dentro de jogo é palavrão. O cara expulsar um atleta por palavrão, não vai acabar com jogadores dos dois times. É um cara que se ofende fácil e se acha o dono do espetáculo. Fez a gente jogar 60 minutos com uma expulsão mais do que desnecessária”.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending