conecte-se conosco
Gabriel, meia do CSA Gabriel, meia do CSA

ALCSASérie BÚltimas

Volta do público, chuva e final insano: CSA vira aos 51 do 2º tempo e bate Ponte na Série B

Foto: Augusto Oliveira/CSA

Publicados

em

Não dava para ser de maneira diferente. Time em boa fase, torcida de volta, jogo complicado e muita chuva. Um final insano, com virada aos 51 minutos do segundo tempo para, literalmente para lavar a alma do torcedor. Esse foi o roteiro da vitória do CSA em cima da Ponte Preta por 2 a 1, no estádio Rei Pelé. Rafael Santos abriu o placar para os visitantes, mas Iury Castilho e Gabriel decretaram o quatro triunfo consecutivo do Azulão na Série B.

Com este resultado, o CSA chega a 41 pontos na Segundona e permanece na sétima posição, cinco a menos que o Avaí, quarto colocado. Enquanto que a Ponte Preta caiu para o 14º lugar, e segue com 32 pontos. O Azulão volta a campo no próximo sábado (2), às 18h30, no Rei Pelé, em Maceió-AL, no clássico contra o CRB. Já a Macaca recebe o Vila Nova no mesmo dia, às 21h, no estádio Moisés Lucarelli, em Campinas-SP.

Confira a classificação da Série B

Jogo aberto e empate faz jus

Um primeiro tempo bastante interessante de se ver no Rei Pelé. CSA e Ponte Preta chegaram para o duelo vivendo uma boa fase na Série B, acumulando três e quatro jogos de invencibilidade, respectivamente. Nos primeiros 10 minutos, os dois times conseguiram boas escapadas para o ataque, mas não concluíram da melhor maneira para marcar. Quem saiu na frente foi a Macaca, num golaço. Aos 14 minutos, Rafael Santos aproveitou rebote na intermediária. Com muito espaço, ajeitou a bola e mandou uma bomba no ângulo para abrir o placar.

A partir daí, o CSA passou a ter mais posse de bola e rondar a área da Ponte, que se resguardava para tentar os contra-ataques. Pressionando, o Azulão chegou ao empate aos 35, quando Marco Túlio bateu da entrada da área e Ivan espalmou. No rebote, Iury Castilho limpou a marcação e mandou para o gol. Por pouco o visitante não marcou o segundo, quando Moisés costurou na frente na área e mandou rasteiro na trave esquerda de Thiago Rodrigues.

Ritmo cai e jogo fica truncado

Na segunda etapa, o CSA começou em cima. Com 40 segundos de jogo, chegou a virar o placar. Porém, a bola pegou na mão de Iury Castilho antes da finalização e o VAR anulou o lance. Aos 13, o atacante tentou novamente, mas bateu para fora. Aos 17, a Ponte Preta tentou também. Em boa trama pela direita, João Veras recebeu com espaço dentro da área, mas errou o chute e mandou para fora.

Da metade para o final, o jogo caiu de ritmo. A intensidade imposta no primeiro tempo e no início do segundo gerou um cansaço que refletiu na velocidade do jogo. Apesar das várias mudanças que ambos os times fizeram no setor de ataque, não foi possível manter o mesmo nível de atuação. As chances de gol pararam de surgir e o duelo ficou truncado, nervoso, com alguns cartões saindo nesta reta final.

Final de jogo insano leva torcedor do CSA ao delírio

O CSA tentou um gás no fim, na base do abafa, para buscar o segundo gol. Sem conseguir quebrar a marcação alvinegra, o tento saiu em um lance fortuito. Após cruzamento para a área, a bola bateu no braço do zagueiro Cleylton, que estava com ele aberto, ampliando a área de contato. O árbitro foi no VAR, houve muita reclamação, mas o pênalti foi bem marcado. Na cobrança, debaixo de muita chuva, Gabriel converteu aos 51 minutos, para delírio da torcida do Azulão.

Com mais quatro minutos de acréscimo, a Ponte ainda tentou em cobrança de falta, com o goleiro Ivan na área. Após cobrança mal feita, Reinaldo puxou contra-ataque, tabelou, entrou na área com o gol aberto e marcou. Contudo, o VAR foi acionado novamente e o lance foi bem anulado, pois o atacante recebeu o passe em condição irregular. Não fez falta, pois a vitória ficou com o CSA. Para lavar a alma do torcedor, após mais de um ano e meio de saudade.

Ficha do jogo

CSA (2)

Thiago Rodrigues; Éverton Silva, Matheus Felipe, Lucão e Ernandes; Geovane (Renato Cajá), Yuri e Gabriel; Marco Túlio (Didira), Iury Castilho (Reinaldo) e Dellatorre (Bruno Mota). Técnico: Mozart.

Ponte Preta (1)

Ivan; Felipe Albuquerque, Cleylton, Fábio Sanches e Rafael Santos; André Luiz (Léo Naldi), Marcos Júnior (Lucas Cândido) e Fessin (Yago); Richard (Josiel), João Veras (Niltinho) e Moisés. Técnico: Gilson Kleina.

Local: Estádio Rei Pelé, em Maceió-AL.

Árbitro: Paulo Henrique Schleich Vollkopf (MS).

Assistentes: Eduardo Gonçalves da Cruz e Ruy Cesar Lavarda Ferreira (ambos MS).

Gols: Iury Castilho, aos 35′ do 1ºT, e Gabriel, aos 51′ do 2ºT (CSA); Rafael Santos, aos 14′ do 1ºT (PON).

Cartões amarelos: Dellatorre, Reinaldo, Lucão e Gabriel (CSA); Rafael Santos, Gilson Kleina, André Luiz, Ivan e Cleylton (PON).

Cartão vermelho: Gilson Kleina (PON).

Trending