conecte-se conosco

CECopa do BrasilFortalezaÚltimas

Em jogo travado, Fortaleza perde novamente para o Atlético-MG e se despede da Copa do Brasil

Divulgação/Atlético

Publicados

em

A bela jornada do Fortaleza na Copa do Brasil chegou ao fim. Semifinalista pela primeira vez, o time chegou para este jogo já com uma eliminação iminente, após uma sonora derrota por 4 a 0 em BH. Ainda assim, o Leão foi propositivo e tentou o ataque, mas o Galo, jogando fechado, conseguiu conter a pressão e, nos contra-ataques, venceu por 2 a 1, com Diego Costa e Hulk, de pênalti, marcando os gols mineiros e Romarinho, no último lance, descontando.

Em campo, o Galo quase não sofreu riscos. O Tricolor foi bem mais propositivo, mas, frente a uma proposta defensiva do líder do Brasileirão, o ataque do Pici não conseguiu furar as linhas, vendo um jogo bastante travado, com mais presença ofensiva, mas sem transformar isso em grandes chances.

Mesmo com o 6 a 1 na somatória, o clima na Arena Castelão foi de festa, com a torcida cantando e apoiando o clube durante todo o jogo, retratando uma celebração da grande temporada que vem vivendo o Fortaleza em 2021.

Como fica?

O Fortaleza se despede assim da Copa do Brasil, enquanto o Atlético-MG irá em busca do bicampeonato do torneio que ganhou em 2014 e foi vice em 2016. Para isso, o Galo terá que superar o Athletico-PR, campeão em 2019 e vice em 2013. O Furacão que venceu o Flamengo por 5 a 2 na somatória da outra semifinal.

Curiosamente, o Leão fará seu próximo jogo justamente em Belo Horizonte, enfrentando o América-MG a partir das 22h deste sábado. Para o Alvinegro, o próximo jogo também será no sábado, às 19h, visitando o Flamengo no Maracanã.

Jogo travado e poucas finalizações

O Tricolor entrou em campo com mais força. Tomando o controle da posse, o time buscou a proposição do jogo e conseguiu ter liberdade para buscar a construção de suas jogadas contra um Atlético que não pressionava tanto na marcação. A última linha mineira, porém, era bem fechada, o que dificultava os ataques nordestinos.

Com o passar do tempo, porém, a intensidade do Fortaleza caiu, equilibrando as forças. Nisso, os mineiros igualaram a posse de bola e viram o jogo cair no excesso de faltas, o que reduziu o ritmo da partida, travada no meio de campo, quase sem criação ofensiva.

Para o Galo, o jogo era de paciência, relativamente confortável, ainda que não muito controlado. No primeiro tempo, o time só conseguiu finalizar uma vez, já aos 42, cobrando falta, mas também não viu o time do Pici ter oportunidades claras de gol, ainda que jogando no campo de ataque.

Fatura liquidada

Depois do intervalo, o Fortaleza tentou subir um pouco as linhas e, com isso, o Atlético passou a encontrar mais espaço para construir seus contra-ataques. Assim, o time já teve a melhor chance do jogo logo aos dois minutos, com Vargas forçando uma grande defesa de Boeck.

Assim, o gol não demoraria a sair. Aos 14, o Tricolor perdeu a bola no campo de ataque e o Alvinegro agiu rápido, lançando para Diego Costa receber no ataque, ganhar dos zagueiros na corrida, invadir a área, tirar de Boeck e bater para o gol aberto.

Daí em diante, havia pouco a fazer. O ritmo de jogo diminuiu, mas o Fortaleza seguiu tendo a maior pressão ofensiva, enquanto o Atlético pouco fazia além de se defender. Nas raras vezes que contra-atacava, porém, o Galo era mais perigoso, tanto que, aos 35, Sasha entrou na área e, quando foi driblar Titi, o zagueiro acertou a mão na bola. No pênalti, três minutos depois, Hulk ampliou.

No último lance, aos 45, Romarinho ainda acertou um chute da intermediária e contou com o desvio em Igor Rabello para a bola morrer no gol solitário do Tricolor, o que encerrou a conta para o jogo.

Ficha do jogo

Fortaleza (1)
Marcelo Boeck; Éderson, Titi e Matheus Jussa; Matheus Vargas (Romarinho), Ronald (Daniel Guedes), Felipe, e Bruno Melo; Edinho (Osvaldo), David (Igor Torres) e Wellington Paulista (Ángelo Henríquez). Técnico: Juan Pablo Vojvoda.

Atlético-MG (2)
Everson; Igor Rabello, Réver e Junior Alonso; Guga, Jair (Nathan), Tche Tchê, Alan Franco (Dylan Borrero) e Guilherme Arana (Dodô); Eduardo Vargas (Hulk) e Diego Costa (Eduardo Sasha). Técnico: Cuca.

Local do jogo: Arena Castelão, em Fortaleza-CE
Árbitro: Vinicius Gonçalves Dias Araujo (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (Fifa-SP) e Daniel Paulo Ziolli (SP)
Gol: Diego Costa (14’/2ºT | CAM), Hulk (38’/2ºT | CAM), Romarinho (45’/2ºT | FOR)
Cartões amarelos: Ronaldo, Wellington Paulista, Igor Torres (FOR) e Réver (CAM)

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending