conecte-se conosco

NáuticoPEPernambucanoSérie BÚltimas

Oficialmente apresentado, goleiro Lucas Perri vê Náutico como maior desafio da sua carreira

Foto: Tiago Caldas/CNC

Publicados

em

Contratado com o status de titular do Náutico após as saídas de Anderson, Alex Alves e Jefferson, que dominaram a posição nas últimas três temporadas, o goleiro Lucas Perri foi apresentado oficialmente nesta terça-feira apontando enxergar o Timbu como o grande desafio da sua carreira, uma vez que será sua primeira oportunidade de ter continuidade como titular.

“Eu encaro esse ano com o objetivo de fazer o maior número de jogos que eu puder, sempre ajudando o Náutico. Acredito que é um ano em que posso evoluir muito e aproveitar essa grande chance que eu tenho”, contou.

“A posição de titular é definida nos treinamentos com o professor Hélio, mas eu vim com o pensamento de ajudar o Náutico, de passar o ano todo dando o meu melhor para contribuir para que o clube alcance os seus objetivos. Eu encaro como uma oportunidade muito boa para mim. É uma chance de ter sequência e conseguir ser campeão”, completou Perri.

Revelado pelas categorias de base do São Paulo e alçado ao elenco profissional em 2017, Lucas Perri nunca teve grande sequências como titular. Questionado sobre a motivação para a falta de oportunidades, o goleiro revelou que as lesões o atrapalharam no início da carreira. Em 2021, o jogador fez apenas seis partidas, sendo a última no dia 1º junho, contra o 4 de Julho, pela Copa do Brasil.

“Ano passado eu fiz seis jogos, o que não é uma quantidade muito grande pensando no futebol profissional. Eu tive duas lesões que me fizeram ter um desacerto no tempo. O futebol é muito momento. Quando eu subi para o profissional não era meu momento de jogar, depois o São Paulo fez as decisões dele e da diretoria.”

“Eu sempre trabalhei para buscar o meu espaço e acredito que, em algum momento, as coisas vão acontecer para mim no futebol profissional, independente de clube. Eu acredito que a oportunidade que estou tendo (aqui) muito boa para poder me firmar e poder fazer história no clube. O futuro pertence a Deus, mas quem sabe eu não possa ficar no Náutico por muito tempo”, salientou o goleiro.

Confira outros pontos da coletiva de apresentação:

A negociação e o papel de Muricy

O Muricy foi bicampeão estadual aqui e ele tem uma relação muito boa com a diretoria e com a torcida. Houveram negociações com outros clubes, mas quando o Náutico entrou em contato comigo, eu achei que era a melhor proposta e na melhor situação possível para que eu pudesse vir e ajudar o clube.

A história

Eu sou goleiro desde que me entendo por gente. Meu pai diz que desde que eu comecei a falar eu digo que vou ser goleiro. Minha família é de Valinhos, no interior de São Paulo, e eu comecei a jogar futebol muito cedo, com quatro ou cinco anos. Aos 11, começou a ser um pouco mais sério, quando comecei nas categorias de base da Ponte Preta e, aos 15 anos, fui para o São Paulo. Fiz o restante da minha base e subi para o profissional lá.

Em 2019, tive a oportunidade de passar um tempo lá na Inglaterra e agora estou aqui, muito feliz de estar no Náutico.

Conversas com Hélio dos Anjos

Ainda não conversamos. Ontem tivemos um papo apenas com a diretoria mesmo e acredito que hoje (terça-feira) vamos conversar sobre isso. Eu acompanho o Náutico. Vi o Náutico durante a Série B e o Campeonato Pernambucano do ano passado, vi o estilo de jogo e estou muito motivado para fazer parte do grupo.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending