conecte-se conosco

Copa do NordestePESportÚltimas

Dal Pozzo explica opções no Sport e sai na bronca com arbitragem: ‘Jogamos contra 15’

Técnico leonino analisou que a equipe ‘merecia um resultado melhor’; veja mais

Publicados

em

O Sport perdeu por 1 a 0 para o Fortaleza, na noite deste domingo, no Castelão, e ficou com o vice-campeonato da Copa do Nordeste. Depois da finalíssima, o técnico Gilmar Dal Pozzo saiu na bronca com a arbitragem por conta de lances, segundo ele, erroneamente avaliados pelo quarteto que comandou a partida. Ao ser questionado sobre o que ‘pesou’ para a derrota, o treinador não hesitou.

“O que pesou foi jogar contra quinze jogadores. Onze do adversário mais a arbitragem. Foi uma arbitragem sem condição nenhuma de apitar uma uma decisão de Copa do Nordeste, uma grandeza, duas equipes que chegaram por mérito. Ele passou insegurança o tempo todo para as duas equipes”, iniciou.

“Deu três cartões amarelos no primeiro tempo, inclusive no primeiro lance ele já deu cartão amarelo sem necessidade em cima de Bill e tive que substituir os melhores atacantes no intervalo porque a qualquer momento ele podia ter expulsado. Ficou fora do contexto pela grandeza e pelo futebol das duas equipes que foram as melhores equipes que chegaram foi a arbitragem”, acrescentou o técnico.

Para a partida, aliás, Dal Pozzo mandou a campo um time diferente: optou por três zagueiros, com Chico sendo acionado no lugar de Bruno Matias. Outra alteração foi a saída de Jaderson para entrada de Bill.

“Em relação à nossa postura, tive muita convicção depois do jogo de quinta-feira, entendia que tinha que fechar mais a equipe por dentro para tirar essa bola de Zé Welison e dos jogadores do Fortaleza que têm qualidade. E teria que colocar um terceiro zagueiro tirando Bruno Matias que estava estava bem e fazendo grandes jogos”, avaliou.

“Então eu vi que esse era o momento porque também no segundo tempo contra o CRB fomos dominados. Tive convicção, confiança na equipe, os jogadores têm o entendimento a gente mudou e em um trabalho só eles tiveram esse entendimento”, seguiu.

“Então nós tivemos o jogo controlado com essa postura dessa equipe no no primeiro tempo e inclusive no segundo tempo que a gente estava dominando o jogo e depois expulsão também, comecei colocar mais atacante, coloquei o Lucas na lateral-esquerda também, a gente teve um domínio, mas a gente não conseguiu o resultado”, completou Dal Pozzo.

Análise de Dal Pozzo sobre o Sport

Por fim, o técnico analisou o que ocorreu na parte técnica e tática dentro das quatro linhas. Mas aproveitou também para reclamar da condução da arbitragem no Castelão.

“Merecíamos um resultado melhor, pela produção. O primeiro tempo foi bastante equilibrado. O Fortaleza teve mais posse de bola e um domínio maior. Mas não teve nenhuma situação clara de gol. Na verdade, o que fez a diferença no primeiro tempo foi um pênalti não marcado em Búfalo e antes do gol de pênalti do Fortaleza, houve uma falta em cima do William Oliveira que originou o pênalti”, disse.

“Então foi um jogo muito equilibrado e que se tivesse dado o pênalti em cima do Búfalo teria mudado toda a história. Tirando isso foi um jogo muito equilibrado, a gente perdeu os duelos individuais do primeiro tempo, principalmente do meio para frente. A gente não teve a paciência de trabalhar melhor essa bola, de fazer o balanço na linha de três. A gente não conseguiu isso, também pela marcação do Fortaleza”, continuou.

“No segundo tempo, a nossa equipe foi imensamente melhor que o adversário, criando oportunidades, sendo superior e não conseguiu e não teve a capacidade também de fazer o gol. E no nosso melhor do jogo, coincidentemente, faltou luz para o time adversário ajustar a equipe. Então, fica um gostinho amargo porque realmente a gente merecia um resultado melhor”, finalizou o treinador.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trending