conecte-se conosco
Lance do jogo entre Bahia e Athletico-PR na Copa do Brasil Lance do jogo entre Bahia e Athletico-PR na Copa do Brasil

BABahiaCopa do BrasilÚltimas

Bahia sofre virada para o Athletico, perde por 2×1 e larga atrás na Copa do Brasil

José Tramontin/athletico.com.br

Publicados

em

Esquadrão vai precisar buscar um triunfo no Paraná

O Bahia não começou bem a sua jornada nas oitavas de final da Copa do Brasil. Contra o Athletico-PR, o Esquadrão saiu na frente, com gol relâmpago de Mugni, mas levou a virada ainda no 1º tempo, com gols de Christian e Pedro Rocha.

Em campo, o jogo foi muito agitado. E nem só por causa dos dois gols marcados logo nos nove minutos iniciais. A partida teve boas chances para os dois lados e muita proposição ofensiva. Mas a efetividade do Furacão pesou a favor, sabendo levar mais perigo em suas chegadas.

Meia Lucas Mugni, do Bahia, em jogo contra o Athletico-PR, na Copa do Brasil
Mugni abriu o placar do jogo – Felipe Oliveira/EC Bahia

Como fica?

Com esse triunfo rubro-negro, o Athletico fica mais tranquilo e leva a vantagem do empate para o jogo da volta. Para o Bahia, a classificação às quartas de final só vem em caso de triunfo. A 2ª partida do confronto está marcada para o dia 12 de julho, às 20h30, na Arena da Baixada.

Agora, os times voltam o foco ao Campeonato Brasileiro. O próximo jogo do Bahia será às 16h do sábado. O Tricolor recebe o Grêmio Novorizontino pela 14ª rodada da Série B. O Esquadrão ainda enfrenta Brusque, Grêmio e Vila Nova antes do jogo de volta contra o Furacão.

Falando nos paranaenses, o próximo jogo do Athletico-PR será contra o Red Bull Bragantino, às 16h30, na 14ª rodada da Série A. Antes do jogo de volta, o time ainda enfrenta Palmeiras e Goiás, além de ter dois confrontos com o Libertad (PAR) nas oitavas da Libertadores.

Christian, do Athletico-PR, comemora gol contra o Bahia, na Copa do Brasil
Christian empatou o jogo – José Tramontin/athletico.com.br

Bahia x Athletico-PR

1º tempo: Gol relâmpago e resposta rápida

O jogo do Bahia ficou mais fácil logo nos minutos iniciais. Isso porque, já aos 4, Lucas Mugni aproveitou uma falta frontal sofrida por Hugo Rodallega e acertou a bola no ângulo de Bento.

O Bahia poderia pensar em uma nova proposta para jogar em cima do resultado, mas nem teve tempo para pensar. Isso porque, logo aos 9, Khellven recebeu na intermediária e cruzou para a área, onde Christian recebeu na 2ª trave para girar e bater no cantinho de Danilo Fernandes.

Como o placar já dava a entender, o jogo era movimentado, com duas equipes lançando mão de propostas ofensivas. Os dois lados tentavam forçar uma marcação mais elevada e isso garantia um jogo bem disputado, com boas chances para os dois lados.

Mas o Athletico conseguiu ser efetivo. Aos 30, Luiz Henrique errou o corte e Khellven ficou com a sobra, pegou a bola pela direita e cruzou para Pedro Rocha, que chegava no meio da área para guardar. Depois da virada, o Furacão fechou mais os espaços e dificultou a vida baiana.

Reprodução/Prime Video, via Copa do Brasil

2º tempo: Pressão baiana

Com o placar favorável ao time sulista, o jogo mudou de cara e o Bahia tomou para si as rédeas da partida. A posse de bola, que tinha terminado empatada na 1ª etapa, logo passou a um 64/36 para os mandantes.

Jogando na área athleticana, o Bahia viu o Furacão abaixar as suas linhas e soube se aproveitar do espaço a mais para jogar nesses minutos iniciais. Mas o Athletico logo conseguiu reencontrar a sua marcação à frente da área e segurar esse ímpeto ofensivo dos mandantes.

Então, o jogo ficou com Esquadrão preso no campo de ataque contra um Furacão apostando nas respostas de velocidade. E a melhor chance do 2º tempo veio assim.

Aos 32, Pedrinho fez uma grande jogada no meio da retaguarda tricolor e tocou na saída de Danilo Fernandes, mas viu o goleiro crescer e fazer uma bela defesa para evitar que o placar fosse ainda pior para o Bahia.

Ficha do jogo

Bahia (1)
Danilo Fernandes; Douglas Borel (André), Ignácio, Luiz Otávio e Luiz Henrique (Djalma Silva); Patrick de Lucca (Raí Nascimento), Rezende, Lucas Mugni (Lucas Falcão) e Danielzinho; Matheus Davó (Vitor Jacaré) e Hugo Rodallega. Técnico: Guto Ferreira.

Athletico Paranaense (2)
Bento; Khellven, Pedro Henrique (Matheus Felipe), Nico Hernández e Abner; Hugo Moura, Christian (Pedrinho) e David Terans (Léo Cittadini); Pedro Rocha (Erick), Tomás Cuello e Pablo (Matheus Babi). Técnico: Luiz Felipe Scolari.

Local do jogo: Arena Fonte Nova, em Salvador-BA
Árbitro: Braulio da Silva Machado (FIFA-SC)
Assistentes: Alex dos Santos (SC) e Thiaggo Americano Labes (SC)
Gols: Lucas Mugni (4’/1ºT | BAH), Christian (9’/1ºT | CAP), Pedro Rocha (30’/1ºT | CAP)
Cartões amarelos: Vitor Jacaré, Rezende, Danielzinho, Douglas Borel, Guto Ferreira, Hugo Rodallega (BAH), Hugo Moura e Nico Hernández (CAP)
Público: 20.484 torcedores
Renda: R$ 345.634,00

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Trending