conecte-se conosco

EstaduaisPBÚltimas

Justiça ordena bloqueio de 100% das receitas do Treze por dívidas trabalhistas

Publicados

em

O Treze começou o ano de 2021 com uma notícia nada animadora. Com dívidas trabalhistas já em fase de execução que somam aproximadamente R$ 7 milhões, o Tribunal Regional do Trabalho da 13ª Região da Paraíba determinou o bloqueio de 100% das receitas previstas para o clube na temporada. Entre elas, as cotas pela participação na Copa do Brasil e Copa do Nordeste, bem como da Timemania. A decisão, assinada pelo juiz Lindinaldo da Silva Marinho, foi publicada no dia 23 de dezembro.

Também já estão bloqueadas qualquer quantia oriunda do Campeonato Estadual (ainda indefinido) e do programa governamental Paraíba Esporte Total. Em 2020, o clube deixou de receber R$ 368.559,38 por não ter realizado o acordo de leniência com o Estado para devolução da verba recebida de forma indevida no antigo programa Gol de Placa. Nesse caso, a dívida do Treze com os cofres públicos é de R$ 618.370.

Leia mais: Sem acordo com estado, clubes da Paraíba deixam de receber R$ 3 milhões]

Justiça determina bloqueio de 100% das receitas do Treze em 2021

Entre os profissionais com causas trabalhistas ganhas e já em fase de execução contra o Treze estão os técnicos Celso Teixeira, atualmente no Ypiranga-RS e que dirigiu o Treze mais recentemente nos anos de 2019 e 2017 e Givanildo Oliveira, hoje sem clube e que comandou o Galo em 2014.

Procurado pela reportagem do NE45, o diretor jurídico do Galo, Warlen Andrade, adiantou que o clube irá recorrer. E criticou a decisão do Tribunal Regional do Trabalho. “É uma decisão precipitada. Desta forma clube nenhum do Brasil conseguirá sobreviver. Bloquear 100% de tudo acarretará o fim do futebol brasileiro. Nem paga aos devedores, nem o clube consegue continuar as atividades”, destacou.

No dia 17 de dezembro, o advogado já havia revelado à reportagem a intenção do clube de propor à Justiça a utilização de 60% das receitas provenientes da Timemania para a quitação de causas trabalhistas. Em média, segundo o diretor jurídico, o Treze arrecada de R$ 60 mil a R$ 70 mil por mês com as apostas dos torcedores na Timemania.

Dentro desse cenário, a diretoria iniciou uma campanha junto à torcida para aumentar o volume de apostas na Timemania. Mobilização que deu resultado, com o Treze conseguindo fechar 2020 como o clube com o maior número de apostas no Brasil, à frente de Flamengo e Corinthians, as duas maiores torcidas do Brasil.

Com isso, o Treze conseguiu entrar no Grupo 1 da Timemania, aumentando os recursos a serem recebidos para quitação de dívidas.

Matéria atualizada às 17h50 do dia 6 de janeiro

Trending