conecte-se conosco

CECearáSérie AÚltimas

Ceará pressiona, mas vacila e perde em casa para o Fluminense

Foto: Lucas Merçon/Fluminense

Publicados

em

O Ceará até jogou melhor do que nas suas últimas partidas, pressionou e criou boas chances de finalização, mas não deu para vencer o Fluminense no Castelão, nesta segunda-feira. Com três erros de marcação, o Vozão acabou derrotado em casa por 3 x 1, mesmo controlando o primeiro tempo e finalizando mais que o time carioca no jogo. O Vozão chegou a diminuir a desvantagem para 2 x 1 no segundo tempo, mas foi novamente castigado no fim.

Libertadores só com milagre

Resultado que tornou ainda mais difícil o sonho alvinegro de conseguir uma vaga na pré-Libertadores, e adia a confirmação na Sul-Americana. Para ir à principal competição do futebol latino, o time agora precisa vencer os dois jogos restantes e torcer contra Athletico-PR, Santos, Bragantino e Corinthians.

Ausências importantes

Sem contar na área técnica com o técnico Guto Ferreira, e o auxiliar Alexandre Faganello, suspensos, o Ceará ainda perdeu Samuel Xavier, Lima e Cléber, lesionados. E o time sentiu as ausências, sobretudo do lateral direito, responsável por boa parte das investidas ofensivas da equipe pela ponta direita.

Ceará toma o controle

Isso refletiu diretamente no desempenho do Ceará no começo da partida. Com um jogo travado e de jogadas mais duras de dividida, ambos os times tinham dificuldade de penetração e finalização. Só a partir dos 10 minutos que o Vozão conseguiu trabalhar mais a bola e se aproximar da grande área, quando começou a roubar a bola no campo de ataque.

Fernando Sobral finalizou primeiro, aos 10′ e aos 18′ minutos, mas Marcos Felipe defendeu bem a primeira e contou com a sorte na segunda. A melhor chance veio dos pés de Vina, depois de uma roubada de bola e boa arrancada de Saulo pela direita, mas o meia-atacante mandou pela direita aos 27′. Charles também tentou um bom chute de fora aos 40′, mas o goleiro carioca espalmou com segurança.

Mas sofre castigo no final

O Fluminense mal conseguia finalizar. Os chutes de Martinelli e nenê, aos 20′ e 29′, sequer levaram sustos para Richard. E John Kennedy furou feio aos 31′ na sua primeira investida pela direita. Mas na segunda, aos 44′, ele fez diferente. Ao receber um bom passe vertical de Nenê e levar vantagem sobre Luiz Otávio, o jovem atacante finalizou bem na saída de Richard, e deu ao Flu uma boa vantagem para o intervalo.

Estatísticas

Posse de bola: Ceará 51% x 46% Fluminense
Finalizações: Ceará 13 x 9 Fluminense
Finalizações no gol: Ceará 5 x 4 Fluminense
Passes certos: Ceará 369 (85%) x 352 (82%) Fluminense
Faltas: Ceará 18 x 8 Fluminense
Desarmes: Ceará 12 x 19 Fluminense
Defesas do goleiro: Ceará 1 x 4 Fluminense
Fonte: Sofascore

Ceará muda o esquema

Precisando propor o jogo, Guto Ferreira – que acompanhou o jogo das cabines do Castelão – orientou Daniel Azambuja a realizar duas mudanças técnicas que alteraram o esquema tático da equipe, voltando ao 4-3-3 com Wescley e Felipe Vizeu. E a mudança surtiu efeito imediato. Numa investida de Wescley, o time quase chegou ao empate já aos 3′, contando com uma trapalhada da defesa do Fluminense, que quase fez contra.

Segundo castigo

De novo, quando era melhor em campo, o Ceará cometeu um deslize de marcação. Luiz Otávio falhou no combate pela esquerda na origem da jogada, que terminou com uma bela triangulação do Fluminense pela direita da defesa alvinegra. Martinelli só escorou para ampliar aos 13′.

Ceará diminui

De imediato, Azambuja fez a terceira troca, com Jacaré mais participativo que Léo Chú. E aos poucos o Ceará foi retomando o controle. Wescley perdeu uma chance clara, cabeceando para fora aos 24′. Mas o Vozão só chegou aos 30′, depois que Calegari derrubou Jacaré e Vina na área e a arbitragem só marcou o pênalti no segundo lance. Vina bateu forte e diminuiu o placar na cobrança, que Marcos Felipe ainda tocou na bola.

Fluminense liquida

O Vozão até tentou manter o ritmo, mas o desgaste físico falou mais alto, e o time não conseguiu manter a pressão. E pior, ainda cedeu espaço para tomar o terceiro. Numa cobrança de falta aos 42′, Samuel mergulhou de cabeça para ampliar o placar, e cravar a vitória do Fluminense. Fabinho até tenou de longe anos 47′, mas Marcos Felipe evitou no último suspiro alvinegro no jogo.

Trending