conecte-se conosco
Ferroviário foi prejudicado pela arbitragem contra o América-MG Ferroviário foi prejudicado pela arbitragem contra o América-MG

CECopa do BrasilÚltimas

Ferroviário acionará STJD para impugnar jogo contra América-MG

Foto: Mourão Panda/América-MG
Avatar

Publicados

em

O Ferroviário foi altamente prejudicado pela arbitragem na eliminação da Copa do Brasil, diante do América-MG. Após empatar em 1 a 1 no tempo normal e ser guerreiro durante toda a partida, o Ferrão teve um gol legítimo na disputa de pênaltis, marcado por Adilson Bahia, não validado pela arbitragem. A bola bateu no travessão, quicou dentro da meta, de maneira clara, e saiu. Mas, mesmo assim, não foi dado o gol.

Em contato com a reportagem do NE45, demonstrando bastante indignação, o presidente do Ferroviário, Newton Filho, afirmou que o clube tentará impugnar a partida no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e acionará a Justiça Comum contra a CBF, pelo prejuízo causado por não ter avançado na competição e não poder disputar a terceira fase da Copa do Brasil.

“Amanhã (quinta, 15 de abril) vamos entrar com um pedido de impugnação (da partida) como erro de direito. Também vamos acionar a Justiça Comum (contra a CBF) por danos morais pela perda da chance. É um verdadeiro absurdo, algo que nunca vi no futebol. Não estamos tratando de um lance normal de jogo, é uma disputa de pênaltis em que nós temos o árbitro de linha e o bandeira ali, o próprio árbitro, e não foi uma bola que bateu na linha. Ela entrou toda. É um verdadeiro absurdo”, disse o mandatário.

Caso chegasse à próxima fase da competição, o Ferroviário participaria do sorteio para saber qual o seu confronto e poderia disputar a vaga nas oitavas de final da competição. Um novo avanço somaria mais R$ 2,7 milhões aos cofres do Tubarão. Para um clube que disputa a Série C, tal injeção financeira pode fazer toda a diferença na busca pelo acesso no segundo semestre da temporada. Para Newton Filho, o que aconteceu na Arena Independência foi um prejuízo “sem precedentes”.

“A gente está tratando de uma partida que vale R$ 1,7 milhão, que não tem VAR. E não é só o R$1,7 milhão que você perde, mas também perde a chance de disputar R$ 2,7 milhões. E estamos tratando do primeiro pênalti, em que ele não é marcado e afeta a parte psicológica dos outros atletas que vão bater. É absurdo. Se eles querem colocar os caras na próxima fase, então não precisa ter jogo desse jeito. Jamais vi coisa tão gritante no futebol como essa. O prejuízo causado ao Ferroviário é sem precedentes”, concluiu o presidente do Ferroviário.

Crédito: Reprodução/Premiere

Trending