conecte-se conosco

CECearenseFortalezaÚltimas

Leonardo Porto explica time alternativo do Fortaleza em empate contra Pacajus

Foto: Leonardo Moreira/Fortaleza EC

Publicados

em

O técnico interino do Fortaleza, Leonardo Porto, explicou o motivo que o fez mandar a campo uma equipe bastante modificada no empate sem gols com o Pacajus, na tarde desta quarta-feira (5), pela terceira rodada do Campeonato Cearense. Com o resultado, o Tricolor perdeu os 100% de aproveitamento na competição.

Segundo Leonadro Porto, as mudanças na equipe foram motivadas pelo rodízio necessário por conta da sequência de jogos. No próximo sábado, o Fortaleza já volta a campo para o clássico contra o Ferroviário.

“A gente tem dois, três jogos por semana, então eu optei por utilizar os outros jogadores da equipe hoje. Todo mundo tem condições de jogar, vivo falando que a gente tem um grupo qualificado. A gente vai vendo quais são os melhores jogadores para as próximas partidas”, explicou o interino. O jogo contra o Pacajus também marcou a estreia do atacante Wellington Nem com a camisa tricolor.

O avançado, que não entrava em campo desde o dia 8 de dezembro de 2019 (pelo Fluminense), foi acionado no segundo tempo. “O Wellington Nem tem que ir colocando aos poucos para ir ganhando ritmo. Ele não tinha feito nenhum ‘campo aberto’ ainda nessa semana de treinos, então a gente colocou ele para ver se conseguia fazer, principalmente, um movimento em cima da última linha. É um jogador que faz bastante isso, para ver se nesses últimos cinco, seis minutos mais os acréscimos ele conseguiria fazer algum movimento que a gente conseguisse chegar na cara do gol”, disse.

Por fim, Porto reconheceu que o Fortaleza encontrou dificuldades, principalmente no segundo tempo. E analisou que a partida teve dois tempos distintos.

“Tivemos um adversário que colocou dificuldade para a gente no jogo. A gente fez um bom primeiro tempo, criando boas oportunidades. No segundo tempo, ficou um jogo mais igual, mais aberto, nós perdemos um pouquinho o controle da bola, então ficou um jogo mais franco. O Pacajus tem jogadores de velocidade na frente e conseguiu chegar mais vezes no nosso gol. Foram dois tempos um pouco distintos, um com mais controle, outro com o jogo mais aberto”, analisou.

Trending