conecte-se conosco

BABahiaCopa Sul-AmericanaÚltimas

Com gol contra, Bahia perde para o Independiente-ARG e se complica na ‘Sula’

A uma rodada do fim, Tricolor caiu para segundo na chave

Foto: Divulgação/ Copa Sul-Americana

Publicados

em

O Bahia se comportou e até fez um bom jogo, sobretudo no segundo tempo, diante do Independiente-ARG. Porém, com gol contra de Thonny Anderson em choque com Douglas já na reta final da partida, saiu derrotado por 1 a 0, na noite desta terça-feira, em Avellaneda, pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Sul-Americana.

VÍDEO: Veja os melhores momentos de Bahia e Independiente-ARG
LEIA: Com gol contra, Bahia perde para o Independiente-ARG e se complica na ‘Sula’
LEIA: Juninho vê bom jogo do Bahia, credita revés a ‘detalhe’ e não joga a toalha

E agora?

Com o resultado, o Esquadrão caiu para segundo do grupo B e ficou em situação delicada na classificação do torneio.

Isso porque tem oito pontos, contra 11 da equipe argentina. Assim, na próxima e última rodada, precisa vencer o Montevideo City-URU e torcer por uma derrota do Independiente-ARG contra o Guabirá-BOL, lanterna da chave.

O jogo – Bahia se comporta bem no início

O primeiro tempo, no geral, diga-se, foi de maior imposição do Independiente-ARG. Porém, isso não se deu no início do jogo. Desde começo, é verdade, a equipe argentina teve mais posse de bola e tentou encurralar o Esquadrão.

Contudo, nos 20 primeiros minutos, o Bahia conseguiu se comportar bem: marcou em bloco baixo e tirou os espaços dos donos da casa. Mas não só isso. Conseguiu levar perigo em contra-ataque, sobretudo pelo lado direito.

Foi do Tricolor, inclusive, as chegadas de maiores perigos. Primeiro, aos dez, Nino Paraíba cruzou para Gilberto, no segundo pau, que subiu e cabeceou bem, mas a bola passou raspando a trave. Pouco depois, foi a vez de Thaciano, em nova descida, dessa vez com Rossi, que foi na linha de fundo e deu passe rasteiro para o meia da área, encontrando o meia livre, que bateu forte mas a bola subiu demais.

Bahia passa a ter dificuldades e não consegue sair

Por volta dos 25 minutos, o Esquadrão passou a ter mais dificuldades. Isso porque a equipe argentina forçou mais o ataque, sobretudo pelo lado esquerda da defesa baiana, que sofreu por ali com Matheus Bahia, ainda que isso não tenha resultado em chances claras para a equipe argentina – o Tricolor contou com boa atuação de Conti e Juninho, que fizeram cortes precisos.

Assim, apesar da maior posse de bola no primeiro tempo do Independiente-ARG (60% x 40%), que buscou jogadas de mano a mano e até algumas entradas na área pelos lados, Douglas pouco trabalhou – apenas em um chute de longe de Palacios, espalmado para a linha de fundo.

Ao Bahia, o problema, neste recorte, foi a saída em velocidade, que não existiu. Pelo chão, o meio não conseguiu trabalhar a bola, faltando até uma maior participação de Rodriguinho nessa circulação. E na bola longa, Gilberto esteve em inferioridade numérica com a zaga e não reteve a bola na frente para dar um desafogo. Ao menos defensivamente o Esquadrão conseguiu se segurar,

Bahia volta melhor e chega no segundo tempo

Para a etapa complementar, o Esquadrão voltou melhor. Primeiro, Dado Cavalcanti corrigiu o lado esquerdo da defesa, com Rodriguinho fechando pelo setor, o que diminuiu o ímpeto dos argentinos.

Além disso, com a bola, o meio campo do Esquadrão foi melhor em relação ao primeiro tempo, com o próprio Rodriguinho mais participativo. Aos nove, o meia fez algo que ainda não tinha feito o jogo inteiro: arriscou uma finalização, onde pegou bem, forte, de esquerda, mas a bola subiu muito.

Ocupando o campo ofensivo, sobretudo pela direita com Nino Paraíba e Rossi aparecendo bem, o Esquadrão rondou a área e conseguiu ocasiões perigosas, como escanteios e cobranças de faltas laterais. E por pouco não marcou, duas vezes, ambas com Juninho após cruzamento de Rodriguinho: aos 14 e aos 21 o defensor subiu e cabeceou bem, mas a bola passou perto da meta.

Ritmo cai e Bahia vê Independiente-ARG equilibrar

Na metade final do segundo tempo, porém, o ritmo do Esquadrão caiu, após uma boa imposição no segundo tempo. Ao mesmo tempo, a equipe argentina fez mudanças e colocou gás novo no ataque. A partir daí, o Tricolor passou a sofrer um pouco mais, vendo o Independiente-ARG chegar.

Aos 25 minutos, na primeira investida sofrida pelo Bahia, Velasco arriscou chute de fora da área com perigo e a bola passou raspando a meta de Douglas. Pouco depois, voltando a explorar o lado esquerdo da defesa baiana, algo que ainda não havia ocorrido na etapa complementar, Busco conseguiu entrar na área em dois lances, aos 33 e 34 minutos, mas a defesa do Esquadrão conseguiu afastar.

Gol contra cruel

Acuado, o Esquadrão sofreu um gol com um roteiro cruel e dose de azar. Após cobrança de falta frontaln a área, Douglas saiu de soco e afastou a bola, que, porém, bateu em Thonny Anderson e entrou na própria meta do Esquadrão.

Dado mexe, Bahia tenta, mas não marca

Na reta final, o técnico Dado Cavalcanti deu gás novo e colocou o time para frente, porém, o Esquadrão chegou apenas em cruzamentos na área, sem conseguiu levar perigo para Sosa.

Ficha

Independiente-ARG

Sebastián Sosa; Bustos, Sergio Barreto, Insaurralde, Ortega; Lucas Romero, Blanco, Lucas González (Arregui); Palacios (Menéndez), Jonathan Herrera e Braian Martínez (Velasco). Técnico: Julio Cesar Falcioni

Bahia

Douglas; Nino Paraíba, Conti, Juninho, Matheus Bahia, Patrick de Lucca (Matheus Galdezani), Thaciano (Alesson), Daniel, Rodriguinho (Maycon Douglas); Gilberto (Thonny Anderson) e Rossi (Óscar Ruiz). Técnico: Dado Cavalcanti

Gols: Thonny Anderson contra (IND-ARG)
Cartões amarelos: Barreto, Palácios e Bustos (IND-ARG); Rodriguinho e Maycon Douglas(BAH)

Ouça a partir do minuto 02′:

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending