conecte-se conosco

Copa do NordesteNáuticoPEÚltimas

Conceição exalta classificação e diz que Náutico está ‘criando casca’ na temporada

Técnico enalteceu o grupo e explicou opções contra Botafogo; veja mais

Foto: Tiago Caldas/ CNC

Publicados

em

O Náutico empatou em 1 a 1 no tempo normal e venceu o Botafogo nos pênaltis, na última quarta-feira, no Almeidão, e avançou para a semifinal da Copa do Nordeste. Depois do confronto, o técnico Felipe Conceição enalteceu a classificação e exaltou os jogadores.

O Timbu, aliás, se superou em João Pessoa. Isso porque arrancou o empate no fim do jogo, quando tinha um a menos – Richard Franco foi expulso na etapa complementar.

“Espetacular (a classificação). Esse grupo demonstrou novamente o caráter e envolvimento, isso nos deixa satisfeito. O mérito é todo deles”, pontuou. O treinador aproveitou para relembrar as metas atingidas pelo Náutico na temporada, que na visão dele está ‘criando casca’ para o elenco.

“Passamos a primeira fase ganhando bem de Globo, Sergipe. Passamos na segunda posição do Estadual, que nos dá vantagem de pular uma fase. Pouco a pouco temos alcançado os objetivos, criando casca, se tornando um time maduro para saber jogar esses jogos pesados”, analisou.

Análise da atuação do Náutico na classificação

Em relação aos noventa minutos, Conceição apontou equilíbrio e explicou as escolhas que fez. Além disso, novamente destacou a garra dos atletas.

“O espírito da equipe hoje durante toda a partida, tivemos o devido interesse e dedicação nesse jogo decisivo. No primeiro tempo tivemos as melhores chances, voltamos para o intervalo, o adversário apertou, se lançou mais, com bolas alçadas. Quando estávamos equilibrando perdemos Franco e aí muda o panorama do jogo, viramos um time reativo, agrupado, para sair na hora certa. Infelizmente tomamos o gol, mas buscamos a reação, empate e o grupo foi merecedor da vitória”, avaliou.

Por fim, falou também sobre as substituições que fez, dentre elas a saída do meia e destaque Jean Carlos.

“Precisávamos oxigenar a equipe, principalmente no setor ofensivo quando tomamos um gol. Foi ali que a gente tirou Jean, coloquei mais um homem no meio para ajudar Djavan já que Wagninho teve queda física. A sequência foi muito pesada, então são jogadores que vêm desgastados e naquele momento precisávamos de gás novo que nos desse a energia e dinâmica. Acho que Pedro, Amarildo, Carpina e Ralph ajudaram. Foram atletas que demonstraram que não somos um time, mas um elenco”, finalizou o treinador.

Agora, o Náutico enfrenta o Fortaleza, no Castelão, neste sábado, novamente em jogo único. Quem vencer, avança à decisão – empate leva o confronto para os pênaltis.

Trending