Connect with us
Executivo do Sport diz que clube sabia da punição de Peglow e bancou a contratação: "Convicção no jogador" Executivo do Sport diz que clube sabia da punição de Peglow e bancou a contratação: "Convicção no jogador"

PESérie BSportÚltimas

Executivo do Sport diz que clube sabia da punição de Peglow e bancou a contratação: “Convicção no jogador”

Foto: Rafael Bandeira / SCR

Published

on

Dirigente leonino falou que havia precedente jurídico para reverter punição do atleta, mas deve esperar o fim da pena de oito jogos

O atacante Peglow foi contratado pelo Sport há pouco mais de um mês, vindo por empréstimo do Internacional. Porém, surpreendeu a torcida leonina o fato do atleta ainda não ter atuado, tudo por conta de uma punição recebida quando jogava na Ucrânia. O porém é que, quando acertou a vinda dele, o Sport já sabia da punição e bancou a contratação mesmo assim.

A revelação foi feita pelo executivo de futebol rubro-negro, Jorge Andrade, ao Cast FC. De acordo com o dirigente, o clube possuía “convicção no jogador” e também se apoiava em precedentes jurídicos para derrubar a punição sofrida por Peglow quando atuava no Dnipro.

O grande porém é que, atualmente, há um processo de maior rigor no futebol brasileiro para que punições sofridas por atletas no exterior também sejam cumpridas aqui no país. Assim, CBF e Fifa estreitaram essas questões, com a aplicação do Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) aqui, fazendo com que esse tipo de pena não seja derrubada mais.

Peglow, Sport - Foto: Divulgação
Peglow, atacante do Sport, foi punido com oito jogos de suspensão na Ucrânia. Foto: Divulgação

Todo esse processo é parte de uma postura da CBF para que atletas punidos por envolvimento de esquemas de apostas não possam atuar também no exterior. Com isso, era necessário também adotar outra postura sobre punições de jogadores que vêm de fora para o futebol brasileiro.

Dessa forma, o Sport entende que ficaria muito difícil de reverter a punição de Peglow. Agora, o clube espera que toda a punição seja cumprida e ele possa vir a estrear diante do Tombense-MG, pela 23ª rodada da Série B.

Ele acabou expulso na última partida e quando iniciamos as conversas com o Internacional, sabíamos que tinha uma punição. O que não tínhamos ciência era o total de jogos, pelo momento que aquele país vive de guerra. Fizemos contatos, mas eles não passavam informação, nem o clube (Dnipro) nem a Federação (Ucraniana)”, iniciou Jorge Andrade.

“Nós sabíamos que viria no TMS (Transfer Matching System), que é o sistema que faz a transferência internacional. Quando houve a transferência, fomos informados pela Federação que viria uma punição de oito jogos. Sabíamos dela quando foi feita essa transferência para o momento de regularização”, acrescentou o executivo.

“Houve várias jurisprudências desses casos, de jogador com esse tipo de punição, onde foi conseguida a reversão dela. Então tínhamos, não uma segurança, mas algo positivo de que poderia acontecer, mesmo sabendo que iria para decisão do juiz e tribunal. Mas ainda assim, como foi no caso do Filipinho, temos total convicção e contratamos o jogador. Então teríamos não oito, mas sete (jogos) de punição. Então contra o Tombense ele poderia jogar”, falou.

João Peglow - Sport - Foto: Reprodução
Sport contratou Peglow sabendo da punição que ele havia recebido, mas tentou revertê-la, sem sucesso. Foto: Reprodução

Jorge Andrade explicou que o departamento jurídico do Sport vinha trabalhando para que a pena fosse revertida, e até citou como exemplo onde, no último sábado (22), antes do jogo contra o Sampaio Corrêa no domingo (23), o Leão conseguiu uma liminar onde liberava Peglow para atuar. Só que, pouco depois, o próprio presidente do STJD derrubou a liminar.

“O jurídico tentou fazer a conversão de pena, mas veio a punição e nós fomos ao STJD, da qual se tem um novo presidente, e lá nós pedimos a conversão. No primeiro momento não saiu a decisão, e em todos os jogos que ele foi para o banco, se tinha uma expectativa de que o STJD liberasse, mas eles pediram mais informações para a CBF. Esse processo acabou se tornando um pouco mais longo. No sábado (22), saiu uma liminar do vice-presidente do STJD, mas acabou sendo cassada pelo presidente”, explicou o executivo.

“Pela informação que a gente tem, que é até uma questão mais jurídica, houve uma mudança de entendimento em toda essa jurisprudência devido a questão das apostas. Se não me engano, tem o caso do Eduardo Bauermann, que foi transferido para um time da Turquia, e a CBF pediu para a FIFA que o jogador cumprisse a pena”, disse.

“Então parece que foi feito um tipo de convênio entre CBF e FIFA, a partir de agora, mudou esse entendimento. Por isso não foi dada a conversão de pena para o Peglow. Mas nós tínhamos consciência sim da punição. Poderíamos ter dito que não queria mais o atleta, mas apostamos nele. Temos convicção que ele pode ajudar”, concluiu o dirigente rubro-negro.

Executivo do Sport avalia trabalho de Gilmar Dal Pozzo e pontua: 'É um processo'
Executivo do Sport, Jorge Andrade explicou a situação de Peglow. Foto: Paulo Paiva/Sport

Entenda a punição de Peglow, atacante do Sport

O atacante recebeu uma punição de oito jogos após ser expulso em um jogo do Campeonato Ucraniano, quando defendia o Dnipro. Após o cartão vermelho, aconteceu uma confusão generalizada na partida. Isso acabou se tornando um agravante para que a pena fosse mais alta.

O primeiro jogo de suspensão foi cumprido quando ele ainda tinha vínculo com o antigo clube. Assim, desde que chegou ao Leão, serão sete jogos afastado, sem poder atuar. Assim, Peglow poderá entrar em campo praticamente dois meses após ser contratado pelo Sport.

João Peglow tem 21 anos e estava emprestado ao Dnipro, da Ucrânia, onde atuou por 15 jogos nesta última temporada europeia (2022/2023), com 15 jogos, três gols e duas assistências.

Ele é tratado como uma joia da base do Internacional, mas não conseguiu o mesmo destaque profissionalmente. Peglow atuou entre 2020 e 2021 na equipe profissional Colorada, onde fez 25 jogos, com dois gols e três assistências.

Com isso, após perder espaço, foi emprestado ao time B do Porto, de Portugal, além do Atlético-GO em 2022. O Sport deve ser o 3º clube do atleta no futebol brasileiro. Peglow joga como ponta-esquerda, mas também já atuou na ponta-direita em outras oportunidades na carreira.

Números, estatísticas e mais sobre o futebol nordestino: Confira as últimas do Blog de Cassio Zirpoli
Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending

Copyright © 2020 NE45. Todos os direitos reservados