conecte-se conosco

ALBAConfiançaCRBCSAJoão de Andrade NetoMANáuticoPESESérie BVitória

A seleção da Série B entre os clubes nordestinos, com representantes dos seis clubes

Avatar

Publicados

em

O saldo final da Série B para os clubes nordestinos foi de estabilidade. Isso porque, se a região não conseguiu nenhum acesso, com CSA e Sampaio Corrêa sendo os únicos clubes a de fato terem disputado o G4, ao menos não houve nenhum rebaixamento, com as permanências de Náutico e Vitória, os mais ameaçados. E em meio a tudo isso, alguns jogadores conseguiram se destacar.

Como não poderia deixar de ser, CSA e Sampaio foram os times mais agraciados na seleção que montei da competição, envolvendo apenas os clubes nordestinos. Os maranhenses, que chegaram a ficar oito rodadas no G4, tiveram quatro atletas escolhidos, enquanto o time alagoano, que esteve entre os quatro melhores colocados em quatro rodadas, entrou com dois jogadores. Porém, teve também o técnico Mozart Santos selecionado como o principal trabalho de um treinador entre os nordestinos.

Toda seleção sempre será polêmica, com poucas ou muitas divergências. O meu “time ideal” foi o escolhido abaixo. Concorda? Discorda? O debate está aberto. 

Goleiro

Anderson (Náutico)

Ao lado do técnico Hélio dos Anjos, um dos pilares da recuperação do Náutico na competição, sendo fundamental para a permanência do Timbu na Série B. Apesar de jovem 22 anos, tem como característica ser extremamente “frio” embaixo das traves, algo louvável para qualquer goleiro e que ajudou a passar segurança para um sistema defensivo até então problemático. Atuou em 16 jogos (sendo o jogador com menos partidas nessa seleção) e sofreu 11 gols (média de 0,68 gols por jogo).

Lateral direito

Luís Gustavo (Sampaio Corrêa)

Capitão do Sampaio, participou de 30 dos 38 jogos da campanha do time maranhense. Número que poderia ter sido ainda maior, não fosse a punição de quatro jogos imposta pelo STJD pelo soco dado no jogador Orinhos, do Oeste, na última partida do primeiro turno, o que rendeu quatro jogos de punição. Mesmo assim, foi um dos esteios da equipe.

Zagueiros

Luciano Castan (CSA) 

Outro capitão que entra na seleção, Leandro Castan participou de 35 partidas da ótima campanha do clube alagoano. Liderança e experiência que ajudaram o CSA a não sofrer gols em 10 partidas na campanha, com o xerife em campo. Expulso no empate contra o Brasil, fez falta no derradeiro jogo contra o Náutico.

Joécio (Sampaio Corrêa)

Jogador mais experiente da seleção, Joécio, de 35 anos, atuou em 28 partidas do Sampaio. E com ele em campo, o aproveitamento do time maranhense foi de 59,5%, o que garantiria ao clube maranhense o terceiro lugar e o acesso à Série A. Por isso, o time sentiu tanto a sua falta quando esteve machucado. 

Lateral esquerdo

Igor Cariús (CRB)

Titular na posição com o CRB, Igor Cariús se destacou ao ponto de ter sido contratado pelo Atlético-GO durante a Série B. Com dois gols marcados, o jogador cresceu ainda mais com a chegada do técnico Roberto Fernandes. Na parceria com o treinador, foram seis vitórias em sete partidas.

Volante

Guilherme Castilho (Confiança)

O mais jovem da seleção (21 anos) e por isso também pode ser apontado como uma das principais revelações dos clubes do Nordeste nesta Série B (ao lado do também volante Rhaldney, do Náutico). Com boa técnica, o defensor, que pertence ao Atlético-MG, fez grandes partidas, com direito a cinco assistências para gols e balançando as redes uma vez, com um gol olímpico diante do Cruzeiro, na talvez a sua melhor atuação na competição. 

Meias

Diego Torres (CRB)

Maestro do time alagoano, o meia argentino disputou 36 partidas nesta Série B e chamou a atenção pela excelente técnica. Marcou cinco gols e deu cinco assistências ao longo da competição. Uma das prioridades para renovação com o Galo em 2021 

Marcinho (Sampaio Corrêa)

Mais um camisa 10 que fez a diferença nesta Série B, fazendo uma ótima dupla com o artilheiro Caio Dantas. Só desfalcou o Sampaio Corrêa em uma partida na competição, marcando oito gols e dando ainda cinco assistências. 

Atacantes 

Caio Dantas (Sampaio Corrêa)

Simplesmente o artilheiro da Série B, com 17 gols (além de contar ainda com quatro assistências). Com isso, foi responsável direto por 41% de todos os gols marcados pelo Sampaio Corrêa em toda a competição. Jogador de força e ótima finalização foi negociado com o futebol chinês.

Léo Ceará (Vitória)

Vice-artilheiro da competição, com apenas um gol a menos que Caio Dantas, Léo Ceará foi determinante para evitar com que o Vitória fosse rebaixado. Foi dele, por exemplo, os gols fundamentais que garantiram o Juventude (1 a 0), Guarani (fez os dois do triunfo por 2 a 1) e o empate por 2 a 2, fora de casa, contra o Avaí, ao anotar o segundo tento. Negociado com o futebol do Japão, vai deixar saudades no torcedor rubro-negro.

 Paulo Sérgio (CSA)

Paulo Sérgio marcou um dos gols na vitória do CSA (Foto: Augusto Oliveira/CSA)

Completa o trio ofensivo, sendo o artilheiro do CSA na competição com 10 gols. Porém, atuou menos que Caio Dantas e Léo Ceará, estando em campo apenas 26 vezes. Colaborou com a campanha do Azulão dando ainda quatro assistências.

Técnico

Mozart Santos (CSA)

Assumiu o CSA quando a realidade do clube era fugir da zona do rebaixamento e levou o clube a sonhar com o acesso, deixando o G4 apenas na penúltima rodada. O não acesso à Série A, no entanto, não apaga o belo trabalho do treinador, o quarto do Azulão no ano e o único a dar um padrão de jogo à equipe. Na Série B, em 28 jogos, teve 57,1% de aproveitamento.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Trending