conecte-se conosco

BABahiaSérie AÚltimas

Bahia supera desfalques e arranca empate com o Atlético-MG em Minas

Foto: Felipe Oliveira/EC Bahia

Publicados

em


Um ponto que pode ser muito valioso na bagagem contra quem luta contra o rebaixamento. Diante do Atlético-MG no Mineirão, o Bahia, mesmo repleto de desfalques, fez uma partida franca e arrancou empate em 1 a 1 contra o Galo, pela 36ª rodada da Série A. Poderia, inclusive, ter vencido o jogo, se não fossem as sucessivas falhas de finalização. O gol marcado pelo Esquadrão foi feito por Rossi, no primeiro minuto do segundo tempo. Os mineiros abriram o placar com Sasha, aos 19 do primeiro tempo.

E agora, como fica?

Com o resultado, o Tricolor de Aço chega aos 38 pontos, mantido na 16ª colocação do Brasileiro, na porta do Z4, e pode voltar a figurar na zona da degola caso o Vasco, que tem 37 e enfrenta o Internacional neste domingo, em São Januário, vença seu jogo. Na próxima rodada, o time baiano encara o Fortaleza, no sábado, no Castelão, em um confronto direto contra a queda.

Estatísticas

Posse de bola: Atlético-MG 71% x 29% Bahia
Passes: Atlético-MG 741 x 301 Bahia
Passes certos: 671 (91%) x (77%) 232
Finalizações: Atlético-MG 21 x 13 Bahia
Finalizações no gol: Atlético-MG 4 x 3 Bahia
Grandes chances: Atlético-MG 1 x 4 Bahia
Grandes chances perdidas: Atlético-MG 0 x 3 Bahia

Bahia perigoso no início, mas falta decidir

Em um início de jogo surpreendente, o Bahia teve a chance de abrir o placar antes do primeiro minuto, mas pecou no poder de decisão – o que viria a se repetir logo depois. Aos 23 segundos, Gabriel Novaes avançou pela direita, deu passe para Rodriguinho, que serviu Rossi, cara a cara com Everson, chutar para fora. 

Depois, foi a vez de Gabriel Novaes errar na tomada de decisão. Nino Paraíba puxou contra-ataque pela direita, tentou o cruzamento, mas a bola resvalou na defesa do Atlético-MG e parou no atacante, que finalizou em cima de Everson. A bola ainda sobrou para Rodriguinho, que finalizou, mas foi bloqueado por Réver. 

Contragolpe do Galo

Após o susto e com a partida tomando um pouco mais forma nos minutos seguintes, o Atlético-MG imprimiu seu estilo de jogo: com posse, velocidade e rondando a defesa adversária. E, em uma jogada bem trabalhada na esquerda, abriu o placar. Aos 19, Arana cruzou para Sasha tirar Clauss do lance e fazer o 1 a 0.

Mas Bahia segue no páreo, objetivo

O placar favorável aos mineiros, porém, não refletiu o que foi o primeiro tempo, com o Bahia criando quatro chances – e não fazendo gol em nenhuma – e o Atlético-MG, com apenas uma, foi capaz de marcar. Porém, o Galo pareceu displicente, como se estivesse confortável com a vitória mínima sobre o Esquadrão – muito mais objetivo sob o comando de Rodriguinho, conseguia penetrar na defesa alvinegra com extrema facilidade.

E volta a errar nas finalizações.

E em duas dessas investidas, o Esquadrão por muito pouco não empatou no final do primeiro tempo. Nino Paraíba puxou contra-ataque e tocou para Rodriguinho. O meia finalizou da entrada da área e a bola passou rente à trave de Everson, aos 41. No minuto seguinte, Gabriel Novaes aproveitou erro de passe de Jair, avançou, ficou frente a frente com Everson, mas finalizou em cima do goleiro. Mais um erro que custou caro.

Reação tricolor

A reação – e, enfim, o gol depois de tanto tentar -, veio cedo. E, desta vez, Rossi acertou. No primeiro minuto do segundo tempo, o atacante disparou em velocidade no contra-ataque, superou Júnior Alonso e chutou forte para igualar o jogo no Mineirão. Após o empate, o Bahia seguiu melhor, encontrando espaços na defesa do Atlético-MG. E, se não fosse o travessão, teria virado. Elton, que acabara de entrar, arriscou de longe acertou a trave de Everson.

Atlético-MG sufoca e Claus faz milagre

O ímpeto do Bahia, porém, deu lugar ao desgaste físico, com o time passando a dar mais espaços ao Galo – que se lançou completamente ao ataque. Mas a equipe mineira parou em Mateus Claus. Aos 27, Marrony recebeu cruzamento, cabeceou à queima roupa e o goleiro salvou o que seria o segundo gol do Atlético.

De novo em contragolpe, e de novo com Gabriel Novaes, o Bahia teve uma chance de ouro, mas perdeu. O atacante avançou em velocidade, superou Revér, finalizou cruzado, mas sem tanta força e e Everson agarrou. O Atlético-MG, por outro lado, mesmo sufocando o Bahia, não conseguiu furar o ferrolho Tricolor.

Trending