conecte-se conosco

NáuticoPEÚltimas

Náutico publica nota oficial e pede liberdade para massagista do clube

Avatar

Publicados

em

Através de uma nota, divulgada nesta quinta-feira (18), o Náutico se posicionou pela primeira vez oficialmente, sobre o caso do massagista Paulo Mariano de Arruda Neto, conhecido como Paulinho, preso no CT Wilson Campos, no dia 22 de fevereiro. O clube saiu em defesa do funcionário, que é acusado de estar envolvido a um assalto a ônibus, em 2018.

O Náutico colocou o departamento jurídico para prestar assistência a Paulo Mariano, que está no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (Cotel), em Abreu e Lima, aguardando pedido de habeas corpus solicitado pelo advogado.

Confira abaixo a nota na íntegra:

O Clube Náutico Capibaribe vem a público esclarecer os fatos acerca da prisão, na nossa visão errônea, do massagista da equipe profissional alvirrubra, Paulo Mariano de Arruda Neto. Paulinho, como é carinhosamente chamado por todos que fazem o dia a dia do CT Wilson Campos, foi preso no último dia 22 de fevereiro, acusado de participar de um assalto a ônibus no dia 25 de dezembro de 2018.

Paulinho havia chegado para trabalhar, assim como fazia todos os dias, quando foi conduzido por policiais civis até a delegacia. Desde então, o massagista encontra-se preso no Centro de Observação e Triagem Professor Everardo Luna (COTEL), em Abreu e Lima, na Região Metropolitana do Recife (RMR).

Ciente do fato, o departamento jurídico alvirrubro passou a prestar todo tipo de assistência e apoio à família de Paulo. A pasta também teve acesso ao inquérito policial. O processo em questão é de 2019. Nele, há o endereço e dados de Paulo Mariano, mesmo assim ele nunca foi intimado a depor. Diante da ausência de provas concretas nos autos, não duvidamos da sua inocência.

Paulo Mariano de Arruda Neto é pai de duas crianças, casado e funcionário exemplar. Possui emprego fixo, ao qual exerce de maneira digna e honesta. Paulinho é querido por todos que fazem o Clube Náutico Capibaribe, seja dirigentes, funcionários, atletas ou comissão técnica. Entendemos o papel e a importância da Justiça para a nossa sociedade, por isso pedimos que ela seja feita e o nosso amigo liberto.

Foto: Caio Falcão/CNC

Trending