conecte-se conosco

Copa do NordestePESanta CruzSportÚltimas

Em jogo com arbitragem confusa, Sport vence o Santa pelo Nordestão

Foi a primeira vitória do Leão no torneio; Tricolor segue na lanterna

Avatar

Publicados

em

No Arruda, um jogo para lá de agitado, com expulsões, pênaltis e uma arbitragem muito confusa. Mas que, no fim, o Sport levou a melhor. Com gol de Toró nos acréscimos da partida, o Leão venceu o Santa Cruz por 2 a 1, na noite desta quarta-feira, pela sexta rodada da Copa do Nordeste. Antes, Rafael Thyere havia aberto o placar no primeiro tempo para o Rubro-negro e Chiquinho deixado tudo igual para o Tricolor na etapa complementar.

E agora?

Com o resultado, a Cobra Coral segue na lanterna do grupo A, com três pontos, enquanto o Leão figura em penúltimo do grupo B, com cinco. Ambos em situação muito delicada na competição. Na sequência do Regional, o Santa Cruz visita o Altos, neste domingo, enquanto o Sport recebe o Ceará, neste sábado.

Sport vence o Santa no Arruda em jogo quente no Nordestão; gol irregular, 3 pênaltis e gol aos 51

O jogo

A tônica do clássico pouco mudou: o Sport, com mais bola, tentando criar, diante de um Santa Cruz que marcou a partir do campo de defesa, reduzindo os espaços rubro-negros. E, dentro dessas propostas, o Santa Cruz foi melhor, ainda que tenha ido para o intervalo perdendo.

Nos 15 primeiros minutos, o Leão chegou a ter 70% de posse de bola, porém, improdutiva, lenta, com muitos toques para trás. Na primeira tentativa de ser vertical, erros individuais dos laterais e do setor ofensivo, além da imposição da boa marcação do Tricolor, com um trio de volantes e forte vigilância a Thiago Neves.

Do lado do Santa Cruz, a proposta era roubar a bola e sair em velocidade. E assim a equipe conseguiu chegar. Inclusive tendo uma penalidade máxima. Em escapada pela direita, Karl foi na linha de fundo, cruzou rasteiro para trás e encontrou Alan Cardoso, que, entrando na área, foi derrubado com um carrinho por Adryelson. Pênalti bem marcado. Na bola, Pipico, acertou o travessão e desperdiçou, aos 18 minutos.

A chance desperdiçada poderia mudar o cenário do jogo. Mas não foi isso que ocorreu. O Sport seguiu com mais posse e esbarrou no sistema defensivo do Santa Cruz, que tentou sair em velocidade. Truncado, os times só conseguiram chegar nas bolas paradas.

Primeiro, foi o Tricolor que assustou. E até marcou, com William Alves, após cobrança de falta frontal de Chiquinho. Entretanto, o zagueiro estava adiantado e o gol foi anulado corretamente pelo bandeirinha.

Em seguida, foi a vez do Leão. Após cobrança de escanteio, a bola ficou viva na área e sobrou para Adryelson, que chutou mal, cruzado, contudo, encontrou Thyere, livre. O zagueiro só dominou para marcar entre as pernas de Jordan, abrindo o placar, aos 35 minutos – na hora que recebeu o passe, entretanto, o defensor estava impedido e o gol deveria ter sido anulado.

Segundo tempo

Na etapa complementar, o confronto ficou favorável para o Sport, que dominou a partir daqui. Isso porque, em desvantagem, o Santa Cruz, apesar de não ter mudado as peças, teve uma postura mais agressiva, de marcar em cima e tentar sair para o jogo. Porém, acabou se abrindo muito e deu espaço para o Leão, que empilhou ótimas chances perdidas.

Aos tês minutos, Neílton deu enfiada para Thiago Neves, que entrou pelo lado esquerdo da grande área e finalizou forte, mas parou em Jordan. No lance seguinte, após lançamento, a bola sobrou limpa, livre, para Patric, na linha da pequena área, mas o lateral-direito, com a barra aberta, chutou em cima do goleiro.

Apesar das chegadas do Sport, o Tricolor não acordou ,seguiu tendo dificuldades para sair e continuou dando espaços. Porém, com Neílton, o Leão não aproveitou. Em dois lances, aos nove a aos 11 minutos, em contra-ataques, o atacante entrou cara a cara com Jordan, mas caprichou demais na hora da finalização e bateu para fora, desperdiçando preciosas oportunidades.

O Rubro-negro, muito superior no segundo tempo, teve tudo para ampliar. Mas acabou punido, em lance pontual do Tricolor. Aos 16 minutos, em jogada individual pela esquerda, Madson foi segurado por Patric em disputa que começou fora da área, mas o atacante caiu dentro. Ao marcar a infração, o árbitro assinalou pênalti. Dessa vez, quem foi para a bola foi Chiquinho, que não desperdiçou: deslocou Luan Polli e deixou tudo igual.

Apesar do gol, o Santa Cruz não conseguiu criar uma maré positiva e se impor, e o Sport seguiu melhor. E quase ampliou em duas jogadas: em lance individual de Toró pela esquerda, o atacante entrou pela linha de fundo e cruzou rasteiro, quando William Alves tentou afastar e por muito pouco não fez contra. No escanteio, Adryelson recebeu lançamento no segundo pau, cabeceou forte, mas parou em Jordan, e no rebote Thyere finalizou com a barra aberta, mas William Alves tirou com o rosto e em seguida a bola bateu na trave.

Aos 35 minutos, o Santa Cruz ficou com um a menos. O árbitro Wagner Reway flagrou tentativa de soco na grande área de Marcel em Thyere e deu vermelho direto para o jogador coral. Seria a primeira expulsão do jogo porque, seis minutos depois, Thyere foi expulso direto depois de carrinho em Karl – o juiz deu amarelo, voltou atrás e aplicou o vermelho, em marcação confusa.

No fim, o Sport foi com tudo para frente. E conseguiu marcar, em nova trapalhada da arbitragem. Após escanteio cobrado, Adryelson cabeceou e a bola bateu no braço de Ítalo Melo. O juiz mandou o jogo seguir, mas o bandeira, contudo, assinalou a penalidade máxima, gerando muita reclamação dos tricolores. Na bola, Toró bateu bem, aos 51 minutos, para fazer 2 a 1 e dar números finais ao jogo.

Ficha

Santa Cruz

Jordan; Ítalo Melo, William Alves, Júnior Sergipano, Alan Cardoso; Caetano, Elicarlos (Marcel), Karl, Chiquinho; Madson (Felipe Almeida) e Pipico (Léo Gaúcho). Técnico: João Brigatti

Sport

Luan Polli; Patric, Rafael Thyere, Adryelson, Sander; Marcão (Ricardinho), Betinho, Thiago Neves (Gustavo Oliveira); Neílton (Chico), Mikael (Dalberto) e Maxwell (Toró). Técnico: Jair Ventura

Gols: Thyere e Toró (SPO); Chiquinho (SAN)
Cartões amarelos: Neílton, Toró, Ricardinho, Marcão e Thiago Neves (SPO)
Cartão vermelho: Marcel (SAN); Thyere (SPO)

Trending